quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Fluminense 3-1 São Paulo


FLUZÃO BATE O SÃO PAULO RELEMBRANDO OS TEMPOS DE LIBERTADORES

FLUMINENSE 3 X 1 SÃO PAULO
Fernando Henrique. Carlinhos (Anderson), Luiz Alberto, Roger e Junior Cesar; Fabinho, Romeu, Tartá e Conca; Somália (Maicon) e Washington. Rogério Ceni, Éder, André Dias, Rodrigo e Richarlyson; Zé Luis (Aloísio), Joilson, Hugo (Jean) e Jorge Wagner; Éder Luis e André Lima.
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Muricy Ramalho.
Gols: Hugo, aos 3, Washington, aos 9, 17 e 38 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Joilson, Hugo e Richarlyson (São Paulo) Luiz Alberto (Fluminense).
Estádio: Maracanã. Data: 06/08/2008. Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF). Auxiliares: Renato Miguel Vieira(DF) e Enio Ferreira de Carvalho (DF). Público: 8.515 pagantes. Renda: R$ 121.121,00.

Novamente no Maracanã. De novo às 21h45 min. Outra quarta-feira. Coincidência ou não, outra vez o nosso Tricolor venceu o São Paulo por 3 a 1, com importantes gols de Washington. A vitória era mais do que necessária para a nossa equipe, e há quem diga que o cargo do Renato estava em jogo, pois, dependendo de um mau resultado, ele poderia ser demitido. Contudo, o Fluminense conseguiu apresentar um melhor futebol do que vinha apresentando e bateu o atual Campeão Brasileiro, que não jogou bem.

Dessa vez, Renato pôde contar com um time menos desfalcado. Escalou um 4-4-2, como pensávamos, com Carlinhos, recuperado de lesão recentemente, na lateral-direita no lugar de Maurício, que antes era improvisado na posição. Tartá e Washington, suspensos contra o Inter, voltaram ao time. Somália entrou no ataque, na vaga de Dodô, que pediu para não ser relacionado para a partida. Depois de muitas rodadas, conseguimos entrar em campo com um time menos desfalcado do que o normal.

Do outro lado, o técnico Muricy Ramalho também entrou com um 4-4-2, contando com a volta do volante Zé Luís e do meia Hugo, ambos suspensos na partida contra o Vasco, e um ataque formado por André Lima e Eder Luís. A maior diferença era o psicológico: enquanto o Flu passava por uma crise, o São Paulo vivia uma boa fase e vinha de um goleada sobre o mesmo Vasco que tinha empatado com o Flu por 3 a 3.

O Fluminense entrou em campo pressionado devido aos maus resultados e viu uma parte da torcida protestar, vestida de preto, de luto, brandindo caixões com nomes de jogadores tricolores e carregando faixas de revolta contra um time fraco e apático, além de criticar o técnico Renato Gaúcho. Precisando mais do que nunca da vitória, o Flu entrou em campo tentando pressionar o São Paulo. Contudo, encontrava dificuldades para entrar na área adversária. O São Paulo, por sua vez, esperava o Flu e saía nos contra-ataques, levando perigo principalmente quando saía pela esquerda, com o meia Jorge Wagner e o lateral Richarlyson. Já o Flu, que tinha Somália caindo pelos lados e Washington centralizado, dois homens de área, tentava chegar ao gol pelos cruzamentos ou por meio de jogadas de Conca e Tartá, que geralmente terminavam errando o último passe. Assim, passou-se um primeiro tempo sem grandes oportunidades e o 0 a 0 continuou no placar.


No segundo tempo, o São Paulo começa no ataque e logo chega ao gol, aos 3 min, quando o veterano zagueiro Roger afasta mal de cabeça e Hugo pega de primeira, dentro da área, deixando o time paulista na frente e deixando a entender que a crise do Flu iria continuar. Precisando reverter o terrível resultado, o nosso Tricolor partiu para o ataque e logo Washington perdeu uma oportunidade, cabeceando por cima do gol de Rogério Ceni após cruzamento do esforçado Somália. Mas, aos 9 min, conseguimos empatar. Romeu, que estava jogando o que sabia e o que não sabia, recebeu a bola dentro da área e sofre pênalti do lateral-direito Éder. Aí, meus caros amigos, passou o filme dos pênaltis na final da Libertadores e fiquei com o coração na boca. Entretando, Washington mostrou ter se recuperado do baque e bateu muito bem, chutando forte e sem chances de defesa para Rogério. O gol incendiou o time do Flu, que passou a jogar com mais vontade e ameaçar a baliza do adversário. Aos 17 min, Junior Cesar rouba a bola de Hugo no meio-campo e puxa o contra-ataque. Conca recebe do lateral, perde a bola e Tartá ganha na velocidade, arrancando pela esquerda e cruzando. A bola passa por Conca e pára nos pés do abençoado Washington, que desconta toda a sua raiva, chutando com muita força e virando o jogo para o nosso Tricolor. A partir daí, o Flu passou a cozinhar o jogo, querendo garantir a importante vitória. O São Paulo tentava, mas esbarrava nos seus próprios passes errados. O castigo final veio aos 38 min, novamente dos pés de Washington. Tartá recebeu pela esquerda e tocou para o iluminado, que na base da vontade e persistência, empurrou para os fundos das redes, fazendo 3 a 1 e selando a vitória do tricolor carioca. A vitória lembrou-me do segundo jogo pelas quartas-de-final da Libertadores, quando vencemos o mesmo São Paulo por 3 a 1, com a participação fundamental de Washinton. É, amigos, a estrela do atacante brilha contra a equipe paulista.

Com a vitória, o Flu chega a míseros 16 pontos, continuando na 19ª posição, na Zona de Risco. O São Paulo continua no G-4, com a vitória do rival Palmeiras sobre o Vitória. Contudo, mais do que os 3 pontos, a vitória serviu para que a equipe ganhasse confiança e, quem sabe, num futuro próximo, deixar de vez essa zona maldita, que não condiz com a nossa tradição.

NOTA: Este post deveria ter sido publicado ontem, mas, devido ao horário do término da partida, só pôde ser divulgado hoje.

ANÁLISE POR EDUARDO: Amigos, errei por pouco o placar. Esperava uma vitória do Flu para buscar sair da crise que atravessamos e isso acabou por se confirmar, embora com mais gols do que eu esperava. Washington foi decisivo, assim como naquela partida pelas quartas... E que partida foi aquela, talvez a melhor entre times brasileiros desta temporada! A de ontem não foi tão bonita como aquela, mas conseguimos vencer pelo mesmo resultado, embora com um time desfalcado e sem nossos dois principais jogadores. Não diria que o Flu foi muito bem em campo, só foi melhor do que o São Paulo, que foi bem ruim. Contudo, é notável a melhora no futebol apresentado pelo nosso Tricolor. Espero que essa vitória, como o próprio Washington disse, seja o marco da nossa saída da Zona e que, com alguns reforços, que até agora não vieram, consigamos passar a almejar pelo menos uma classificação para a Sul-Americana.

ANÁLISE POR FELIPE: Caros tricolores, enfim vencemos. Precisávamos dessa vitória e ela veio para dar moral ao grupo e ao Renato. Vencemos o São Paulo, que, há 77 dias, eliminávamos das oitavas-de-final da Libertadores. Entretanto, hoje a situação é bem diferente, o São Paulo lutando para ficar entre os líderes e o Fluminense, para escapar da Zona de Rebaixamento.

Podemos dizer que o Fluminense foi amplamente melhor no 2º tempo. O primeiro tempo foi brigado, as duas equipes não jogaram bem, não tiveram muitas chances de gol e o jogo ficoutravado no meio-campo. Já o segundo foi bem diferente. Começou com ambas as equipes buscando o ataque. O São Paulo chegou ao gol logo no começo com Hugo. A partir daí, o Fluminense passou a dominar e conseguiu o gol de empate num pênalti sofrido por Romeu e convertido por Washington aos 9 minutos. Logo o Flu foi buscar a virada e ela acabou acontecendo aos 17 minutos, num cruzamento de Tartá, Conca tentou cabecear mas não conseguiu e a bola sobrou para Washington estufar a rede de Rogério Ceni.

O Flu, então, soube administrar a vantagem numérica e o São Paulo, desesperado, tentava pelo menos empatar. Doce ilusão. Logo o Flu pôs números finais ao jogo aos 38 minutos, depois de um chutão, o jovem Tartá ganhou do zagueiro e passou para o Washington, que fez 3x1 pro Fluminense e garantiu a vitória.

Saudações Tricolores

2 comentários:

Marcus Stecklow disse...

É gente, vencemos!!! só acho que após o 2º gol não cozinhamos não. Tivemos muitas chances de ampliar antes do Xitão fazer o 3º. Aliás, poderíamos ter fechado o jogo com um sacode histórico.. Agora vamos detonar o Tigre..
Abraços

Guilherme disse...

RG botando 4-4-2 é o que dá, tem que ser assim bota a galera pra frente mesmo no embalo, no ataque que assim o time joga bem!!!!!!!!!

recuar é pedir pra perder.Espero q tudo de certo agora que o Eduardo Ratinho e o Everton Santos foram regularizados tudo melhora, flw...

ST