segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Fluminense 1-0 Atlético-MG


FLU VENCE O JOGO MAS CONTINUA NA ZONA

FLUMINENSE 1 x 0 ATLÉTICO-MG
Fernando Henrique, Eduardo Ratinho (Everton), Luiz Alberto, Roger e Junior Cesar; Romeu, Maurício, Conca e Tartá; Dodô (Somália) e Washington (Maicon). Edson, Mariano, Leandro Almeida, Marcos e Renan; Rafael Miranda, Márcio Araújo, Serginho e Petkovic (Tchô); Marques (Raphael Aguiar) e Jael (Lenilson)
Técnico: Cuca Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Dodô, aos 18 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Roger, Conca, Maurício (Flu), Mariano e Serginho (Atlético-MG).
Estádio: Maracanã. Data: 17/08/2008. Árbitro: Luís Flávio de Oliveira. Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa /SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) Público e renda: 12.666 pagantes / R$ 180.028

Caros tricolores, como havíamos dito na análise pré-jogo, seria mais um jogo de vida ou morte. Só que, desta vez, ao contrário da batalha perdida no Ipatingão, não saímos derrotados, não. Conseguimos uma importantíssima vitória sobre o Galo e, com isso, chegamos aos 19 pontos, terminando a rodada à frente de Santos e Ipatinga, mas ainda na Zona de Rebaixamento. Já o Atlético-MG, com essa derrota, manteve-se com 23 pontos e caiu uma posição na tabela, ficando em 13°.

A partida marcou a estréia do técnico Cuca no comando do Flu, que, felizmente, começou com pé direito. Cuca, como previsto, optou pela volta de Dodô à equipe titular e escalou Eduardo na lateral-direita, mantendo o 4-4-2. Já Marcelo Oliveira, treinador do Galo, manteve o time que jogou contra o Botafogo na partida válida pela Copa Sul-Americana.

O duelo entre duas equipes em má fase no Campeonato Brasileiro prometia ser de baixo nível técnico. E foi. O jogo foi bem ruim. As equipes tentavam vencer o adversário utilizando a raça, pois a falta de técnica era evidente. Esbarravam em passes errados, lançamentos mal feitos e, quando chegavam ao ataque, más finalizações. Nesse primeiro tempo, os goleiros foram "torcedores de luxo", diante da falta de perigo criada por ambos os times.

O Fluminense, anfitrião, levava perigo, principalmente, por meio de seu ataque, formado por Washington e Dodô. Ambos perderam oportunidades de abrir o placar na primeira etapa. O Galo, que, apesar de estar em melhor situação no Campeonato do que o Tricolor, precisava da vitória para se afastar da zona e ameaçava por meio de jogadas protagonizadas por Marques, principalmente pela direita, e Petkovic, em chutes de fora da área e cobranças fechadas de escanteio. Assim, um monótono primeiro tempo passou e chegou ao fim.

Para o segundo tempo, Cuca optou por sacar Eduardo e colocar Everton Santos, atacante. Contudo, desejando manter o esquema, prendeu o volante Maurício na lateral-direita e pôs Everton como ponta, deixando, assim, o time do Flu mais ofensivo. O Atlético voltou a campo com a mesma formação.

Everton, ávido por mostrar serviço, esforçou-se bastante em campo e, por meio da velocidade, conseguiu impor maior ofensividade ao time tricolor. Contudo, o Galo passou a ser mais perigoso do que no primeiro tempo. Petkovic acertou o travessão e Fernando Henrique fez bela defesa após chute de Jael, dentro da área. Vendo a incapacidade dos seus atacantes de concretizar as oportunidades criadas, Cuca chamou Somália para entrar na vaga de Dodô. Mas o atacante teve sua entrada adiada. Enquanto o treinador conversava com ele, aos 16 min, Washington recebeu na entrada da área, protegeu a bola e executou um excelente passe para Dodô, que, livre de marcação, empurrou para o fundo das redes, fazendo 1 a 0 para o Fluminense.

Depois do gol, o Flu cresceu e passou a criar mais perigo ao gol de Edson. Washington, e depois Somália, que, a esse altura, já havia entrado na vaga de Dodô, perderam duas boas oportunidades de ampliar o placar. O Atlético, faltando pouco tempo para acabar a partida, chegou a um gol, que foi anulado devido a um impedimento. Somália, no final do jogo, perdeu outro boa chance, e o jogo ficou no 1 a 0, com o Tricolor conquistando uma impotante vitória na primeira partida de Cuca sob o comando da equipe.

ANÁLISE POR EDUARDO: Caros leitores, previ que seria um jogo difícil e foi. Vencemos por um placar magro, jogando em casa. No primeiro jogo sob o comando de Cuca, não notei grandes diferenças no time, não. Houve uma melhoria na postura tática, é verdade, mas o problema maior, como sempre, foram os jogadores, que erraram passes bobos e perderam gols. A defesa, dessa vez, foi bem e Romeu, mais uma vez, provou que tem vaga de titular nesse time do Fluminense, diante da falta de alternativas para o meio-campo defensivo. No ataque, Washington jogou bem, trabalhando como pivô, buscando jogo, chamando a responsabilidade. Já Dodô não foi bem, mas garantiu a nossa vitória e isso salvou a sua exibição. Na verdade, ganhamos porque o Atlético é um time, sem menosprezar, mais fraco. Contudo, como eu já vinha relatando, nosso time jogou melhor nas últimas três partidas, e espero que essa melhoria continue e que, em breve, possamos respirar aliviados pela primeira vez nesse campeonato.

ANÁLISE POR FELIPE: Jogo da nova era, a Era Cuca, que começou bem pelo meu ponto de vista, vencendo, o que é mais importante nesse momento. Tenho uma expectativa boa sobre a campanha do Fluminense daqui pra frente, espero estar certo.

O Jogo começou frio, com muito toque de bola, gerando muitos passes errados, sem emoção nenhuma. O Tricolor chegava pouco ao ataque, tocava a bola muito no meio-campo e ficava “preso” ali. O Atlético também não atacava. O Tricolor começou a atacar e também levar perigo nos contra-ataques, mas nada que pudesse se transformar em gol. Já o Atlético começou a insistir em jogadas pelas laterais, sem sucesso, pois a zaga do flu estava bem e tirou tudo que o Galo tentava, algumas vezes até afobado.

No segundo tempo o jogo ficou um pouco mais elétrico. Cuca resolveu mexer no intervalo, tirando o lateral Eduardo que foi discreto em campo e colocou o atacante Everton como um ponta e passando Maurício para jogar de 3º zagueiro. Deu certo. O Fluminense melhorou, conseguindo criar chances e passou a ter muita movimentação no ataque, mas quem criou as primeiras chances foi o Galo, primeiro com Petkovic, que cobrou um escanteio perigoso em que a bola bateu no travessão e, logo depois, com Jael, que recebeu de Marcio Araújo e chutou rasteiro e forte, mas Fernando Henrique estava bem colocado e fez a defesa. Como o Flu não estava conseguindo fazer o gol, Cuca chamou Somália e Dodô iria sair, mas, aos 16 minutos, depois de receber um passe lindo de Washington, o atacante empurrou para o fundo das redes, fazendo 1x0 para o Fluminense. Aos 23, Washington quase ampliou para o tricolor, ao dominar dentro da área, girar em cima do zagueiro e chutar forte, mas o mesmo zagueiro conseguiu se recuperar e tirou na hora, jogando pra escanteio. O Flu se empolgou e partiu pra definir a partida, mas ficou só no 1x0 mesmo.

Bom, para a estréia de um técnico, fomos bem. Claro que não dá pra definir uma opinião só por um jogo, e também precisamos melhorar em algumas coisas, mas, pelo que vi, como disse anteriormente, tenho uma expectativa muito boa para o Fluminense daqui pra frente.

ANÁLISE POR JÚLIA: Caros, hoje o placar foi apertado: 1x0. Porém, na nossa atual posição, até vitória por 0,5x0 é goleada. Cheguei com o jogo já iniciado, mas pouco tempo havia passado. Ratinho teve uma atuação mediana, no ataque foi bem e fez o que prometeu. Teve raça, mas na defesa deixou muito a desejar, o que, conseqüentemente, nos causou muitos problemas pelo lado direito. No primeiro tempo, o time não jogou muito bem. Já era de se esperar, e o Atlético Mineito é um time chato, que joga bem, sim. Maurício foi mal, muito desajeitado, Roger também. Dois que precisam usar a fórmula do Romeu, que cortou o cabelo e jogou futebol como nunca. Infelizmente, podem raspar a cabeça que não vão suprir as faltas de Thiago Neves e Thiago Silva, mas uma melhor atenção e calma já nos ajudariam muito. O gol do Fluminense saiu aos 16 do segundo tempo. Ótimo passe de Washington, que jogou bem, para Dodô, que voltou a balançar as redes. O próximo jogo do Fluminense é contra o Náutico, e é muito importante. É um concorrente direto nosso, e se ganharmos daremos um importante passo. Porém, do jeito que estamos fora de casa, não espero um resultado muito bom. Jogando fora de casa e em gramado ruim, é difícil sempre pro Fluminense ganhar. Eu apostaria numa vitória do Náutico, mas nada que o Fluminense não contradiza. Afinal, nós tricolores sabemos do que o Fluminense é capaz nesses momentos, em que até os tricolores não acreditam realmente (fala sério, você achava que íamos passar daquele jeito pelo Boca Juniors ou que íamos perder pra LDU ?). Boa sorte, Tricolor.

OBS: O blogueiro Luiz Felippe não pôde assistir ao jogo e por isso não fez sua análise.

Saudações Tricolores

2 comentários:

alexandregbraga disse...

No atual momento que o Fluminense passa o importante não é jogar bem, o importante é vitorias! Somar o maior números de pts possivel para sair da z.rebaixamento! Por isso a estreia do Cuca foi boa...agora desejamos a ele que bote o time para jogar de forma organizada e que o bom futebol volte e com ele é claro os resultados!
Um forte abraço!
Alexandre "Jaba"

Paulo.o disse...

Acho que agora vai!
Já deu pra ver que a equipe tá com uma postura um pouco melhor.
Gostei da atuação do Éverton, e do Ratinho...
Achei que o Ratinho tem capacidade pra ser bem melhor.
Foi muito tímido nos contra-ataques.
Eu gosto bastante do Cuca.
E acho que como nesse jogo, na base da raça e da força.
Sem dar show.
Venceremos também apertado do Naútico lá nos Aflitos.


;paulo.o