quarta-feira, 20 de agosto de 2008

COLUNA DO SUPERNATURAL... “NADA DE CARNE, SÓ LEGUMES!”

Seu Cuca é ele!

Cheguei cedão no Maraca pra sentir com a galera o clima para a partida! Os mesmos de sempre estavam lá, aqueles que só vão em final sabem que não são bem-vindos! TYF e Legião voltando a se respeitar, o Cavalo Paraguaio Rubro-Negro havia conseguido mais um empate com MAIS UM PENALTI (QUE COINCIDÊNCIA!). Tudo pronto! Vamos começar a partida, entra o time dos árbitros da FFERJ! Opa! Como assim? É o Patético de Minas? Mas tem problema não, preto e branco lembra time(?) pequeno aqui do RJ e time ou timinho, que não ganha nada! Vamos Fluzão! Vamos Ganhar!
Neste jogo truncado, havia uma áurea diferente, o clima era propenso para uma vitória! Cuca estreava, uma tamanha expectativa. Treinar um time grande depois de muito tempo! O exemplo maior era o Dodô. Ele tava diferente, começou correndo sim! Ele mesmo, o Dodô! Time com vontade, E diria eu, com um sutil padrão de jogo. As peças ainda são as mesmas, só que com vontade! Aos 16 min do segundo tempo, o Chitão, fazendo o papel de pivô, recebeu a bola de Conca, el maestrito, e lançou Dodô que colocou com categoria lá dentro! Final da GOLEADA: Fluminense 1x0 Patético-MG.

CHUTANDO O BALDE...


Agora falando do Flu...

Somos os líderes! Sim, junto com uma penca de times, mas, se deram o título pro Grêmio, pois este terminou em 1º no turno inicial, começamos o returno na frente e somos os líderes! Arrancamos bem, na quarta-feira, temos um jogo de vida ou morte contra o Náutico de PE + a polícia do Recife, se bem que policial tá ali pra prender bandido, ladrão e jogador do Fog... ops! Lá no Recife, o jogo é muito difícil, mas, jogo difícil é com a gente mesmo! Lembram de um tal de Junior Bocas? Acho que é assim que se escreve, um time lá da Argentinha, que eliminamos na Libertadores.

Direto de Pequim

Já ouviram falar da SÍNDROME DE BOTAFOGO? Pois empestou os atletas brasileiros na China. Tem gente ali que ganha tudo antes das olimpíadas, porém na hora do vamos ver... NÃO GANHAM NADA E TOME CHORORÔ, CHORA A JADE, CHORA O HIPÓLITO, CHORA O FOGO! Falando em Hipólito, só foi o muleke falar que ia abrir uma bandeira do Cavalo Paraguaio Rubro-Negro no pódio, hehehe, caiu de bunda! E TOME CHORO! Nada pessoal, você é muito bom dando esses pulos, mas, da próxima vez, CALA A BOCA!

Os chinas da China tão de olhos arregalados com meu craque TN10! Fazendo a diferença, jogando o fino, mostrando pro RG(cruzes!) como é que se faz! O tal do Ronaldinho Gaúcho pediu pra sair do Barça, achando que ia ter de disputar vaga com o TN! Se preocupa não dentuço, ele é do Flu e para o Flu vai voltar! TS, o Monstro também dando show lá do outro lado do mundo, e quando voltarem, TREMEI times pequenos e cavalos paraguaios, o show vai recomeçar, agora com o Cuca, só o esquenta!

A mais nova NÃO CONTRATAÇÃO do Flu!

Pato Urrutia, capitão da LDU (valha-me Deus!) é mais nova NÃO contratação do Flu! Quem não anunciou Urrutia foi o nosso Coordenador de PESO Baleia Branca! A torcida espera ANSIOSAMENTE agora apenas umas 2, se der tá, só 2 contratações! E por favor, contrate de bico calado, para que mais uma vez não se torne mais uma NÃO CONTRATAÇÃO!

Palpites...

Tan nan nan nam! Tan nan nan nam! Recife é terra do frevo! E te prepara Náutico, tu vai dançar! Tan nan nan nam! (Aquela musiquinha que toca o carnaval de lá o tempo todo!). Fluminense 3x1 Náutico. Em clima de carnaval, voltaremos ao Maraca no sábado e pegamos um Rubro-Negro: o Sport! Fala sério Flu x Qualquer Rubro-Negro no Maraca? Fluzão 3 x0! Tan nan nan nam! Tan nan nan nam!

“E PELO FLUMINENSE TUDO!”

Saudações Tricolores

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Fluminense 1-0 Atlético-MG


FLU VENCE O JOGO MAS CONTINUA NA ZONA

FLUMINENSE 1 x 0 ATLÉTICO-MG
Fernando Henrique, Eduardo Ratinho (Everton), Luiz Alberto, Roger e Junior Cesar; Romeu, Maurício, Conca e Tartá; Dodô (Somália) e Washington (Maicon). Edson, Mariano, Leandro Almeida, Marcos e Renan; Rafael Miranda, Márcio Araújo, Serginho e Petkovic (Tchô); Marques (Raphael Aguiar) e Jael (Lenilson)
Técnico: Cuca Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Dodô, aos 18 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Roger, Conca, Maurício (Flu), Mariano e Serginho (Atlético-MG).
Estádio: Maracanã. Data: 17/08/2008. Árbitro: Luís Flávio de Oliveira. Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa /SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) Público e renda: 12.666 pagantes / R$ 180.028

Caros tricolores, como havíamos dito na análise pré-jogo, seria mais um jogo de vida ou morte. Só que, desta vez, ao contrário da batalha perdida no Ipatingão, não saímos derrotados, não. Conseguimos uma importantíssima vitória sobre o Galo e, com isso, chegamos aos 19 pontos, terminando a rodada à frente de Santos e Ipatinga, mas ainda na Zona de Rebaixamento. Já o Atlético-MG, com essa derrota, manteve-se com 23 pontos e caiu uma posição na tabela, ficando em 13°.

A partida marcou a estréia do técnico Cuca no comando do Flu, que, felizmente, começou com pé direito. Cuca, como previsto, optou pela volta de Dodô à equipe titular e escalou Eduardo na lateral-direita, mantendo o 4-4-2. Já Marcelo Oliveira, treinador do Galo, manteve o time que jogou contra o Botafogo na partida válida pela Copa Sul-Americana.

O duelo entre duas equipes em má fase no Campeonato Brasileiro prometia ser de baixo nível técnico. E foi. O jogo foi bem ruim. As equipes tentavam vencer o adversário utilizando a raça, pois a falta de técnica era evidente. Esbarravam em passes errados, lançamentos mal feitos e, quando chegavam ao ataque, más finalizações. Nesse primeiro tempo, os goleiros foram "torcedores de luxo", diante da falta de perigo criada por ambos os times.

O Fluminense, anfitrião, levava perigo, principalmente, por meio de seu ataque, formado por Washington e Dodô. Ambos perderam oportunidades de abrir o placar na primeira etapa. O Galo, que, apesar de estar em melhor situação no Campeonato do que o Tricolor, precisava da vitória para se afastar da zona e ameaçava por meio de jogadas protagonizadas por Marques, principalmente pela direita, e Petkovic, em chutes de fora da área e cobranças fechadas de escanteio. Assim, um monótono primeiro tempo passou e chegou ao fim.

Para o segundo tempo, Cuca optou por sacar Eduardo e colocar Everton Santos, atacante. Contudo, desejando manter o esquema, prendeu o volante Maurício na lateral-direita e pôs Everton como ponta, deixando, assim, o time do Flu mais ofensivo. O Atlético voltou a campo com a mesma formação.

Everton, ávido por mostrar serviço, esforçou-se bastante em campo e, por meio da velocidade, conseguiu impor maior ofensividade ao time tricolor. Contudo, o Galo passou a ser mais perigoso do que no primeiro tempo. Petkovic acertou o travessão e Fernando Henrique fez bela defesa após chute de Jael, dentro da área. Vendo a incapacidade dos seus atacantes de concretizar as oportunidades criadas, Cuca chamou Somália para entrar na vaga de Dodô. Mas o atacante teve sua entrada adiada. Enquanto o treinador conversava com ele, aos 16 min, Washington recebeu na entrada da área, protegeu a bola e executou um excelente passe para Dodô, que, livre de marcação, empurrou para o fundo das redes, fazendo 1 a 0 para o Fluminense.

Depois do gol, o Flu cresceu e passou a criar mais perigo ao gol de Edson. Washington, e depois Somália, que, a esse altura, já havia entrado na vaga de Dodô, perderam duas boas oportunidades de ampliar o placar. O Atlético, faltando pouco tempo para acabar a partida, chegou a um gol, que foi anulado devido a um impedimento. Somália, no final do jogo, perdeu outro boa chance, e o jogo ficou no 1 a 0, com o Tricolor conquistando uma impotante vitória na primeira partida de Cuca sob o comando da equipe.

ANÁLISE POR EDUARDO: Caros leitores, previ que seria um jogo difícil e foi. Vencemos por um placar magro, jogando em casa. No primeiro jogo sob o comando de Cuca, não notei grandes diferenças no time, não. Houve uma melhoria na postura tática, é verdade, mas o problema maior, como sempre, foram os jogadores, que erraram passes bobos e perderam gols. A defesa, dessa vez, foi bem e Romeu, mais uma vez, provou que tem vaga de titular nesse time do Fluminense, diante da falta de alternativas para o meio-campo defensivo. No ataque, Washington jogou bem, trabalhando como pivô, buscando jogo, chamando a responsabilidade. Já Dodô não foi bem, mas garantiu a nossa vitória e isso salvou a sua exibição. Na verdade, ganhamos porque o Atlético é um time, sem menosprezar, mais fraco. Contudo, como eu já vinha relatando, nosso time jogou melhor nas últimas três partidas, e espero que essa melhoria continue e que, em breve, possamos respirar aliviados pela primeira vez nesse campeonato.

ANÁLISE POR FELIPE: Jogo da nova era, a Era Cuca, que começou bem pelo meu ponto de vista, vencendo, o que é mais importante nesse momento. Tenho uma expectativa boa sobre a campanha do Fluminense daqui pra frente, espero estar certo.

O Jogo começou frio, com muito toque de bola, gerando muitos passes errados, sem emoção nenhuma. O Tricolor chegava pouco ao ataque, tocava a bola muito no meio-campo e ficava “preso” ali. O Atlético também não atacava. O Tricolor começou a atacar e também levar perigo nos contra-ataques, mas nada que pudesse se transformar em gol. Já o Atlético começou a insistir em jogadas pelas laterais, sem sucesso, pois a zaga do flu estava bem e tirou tudo que o Galo tentava, algumas vezes até afobado.

No segundo tempo o jogo ficou um pouco mais elétrico. Cuca resolveu mexer no intervalo, tirando o lateral Eduardo que foi discreto em campo e colocou o atacante Everton como um ponta e passando Maurício para jogar de 3º zagueiro. Deu certo. O Fluminense melhorou, conseguindo criar chances e passou a ter muita movimentação no ataque, mas quem criou as primeiras chances foi o Galo, primeiro com Petkovic, que cobrou um escanteio perigoso em que a bola bateu no travessão e, logo depois, com Jael, que recebeu de Marcio Araújo e chutou rasteiro e forte, mas Fernando Henrique estava bem colocado e fez a defesa. Como o Flu não estava conseguindo fazer o gol, Cuca chamou Somália e Dodô iria sair, mas, aos 16 minutos, depois de receber um passe lindo de Washington, o atacante empurrou para o fundo das redes, fazendo 1x0 para o Fluminense. Aos 23, Washington quase ampliou para o tricolor, ao dominar dentro da área, girar em cima do zagueiro e chutar forte, mas o mesmo zagueiro conseguiu se recuperar e tirou na hora, jogando pra escanteio. O Flu se empolgou e partiu pra definir a partida, mas ficou só no 1x0 mesmo.

Bom, para a estréia de um técnico, fomos bem. Claro que não dá pra definir uma opinião só por um jogo, e também precisamos melhorar em algumas coisas, mas, pelo que vi, como disse anteriormente, tenho uma expectativa muito boa para o Fluminense daqui pra frente.

ANÁLISE POR JÚLIA: Caros, hoje o placar foi apertado: 1x0. Porém, na nossa atual posição, até vitória por 0,5x0 é goleada. Cheguei com o jogo já iniciado, mas pouco tempo havia passado. Ratinho teve uma atuação mediana, no ataque foi bem e fez o que prometeu. Teve raça, mas na defesa deixou muito a desejar, o que, conseqüentemente, nos causou muitos problemas pelo lado direito. No primeiro tempo, o time não jogou muito bem. Já era de se esperar, e o Atlético Mineito é um time chato, que joga bem, sim. Maurício foi mal, muito desajeitado, Roger também. Dois que precisam usar a fórmula do Romeu, que cortou o cabelo e jogou futebol como nunca. Infelizmente, podem raspar a cabeça que não vão suprir as faltas de Thiago Neves e Thiago Silva, mas uma melhor atenção e calma já nos ajudariam muito. O gol do Fluminense saiu aos 16 do segundo tempo. Ótimo passe de Washington, que jogou bem, para Dodô, que voltou a balançar as redes. O próximo jogo do Fluminense é contra o Náutico, e é muito importante. É um concorrente direto nosso, e se ganharmos daremos um importante passo. Porém, do jeito que estamos fora de casa, não espero um resultado muito bom. Jogando fora de casa e em gramado ruim, é difícil sempre pro Fluminense ganhar. Eu apostaria numa vitória do Náutico, mas nada que o Fluminense não contradiza. Afinal, nós tricolores sabemos do que o Fluminense é capaz nesses momentos, em que até os tricolores não acreditam realmente (fala sério, você achava que íamos passar daquele jeito pelo Boca Juniors ou que íamos perder pra LDU ?). Boa sorte, Tricolor.

OBS: O blogueiro Luiz Felippe não pôde assistir ao jogo e por isso não fez sua análise.

Saudações Tricolores

domingo, 17 de agosto de 2008

Na estréia de Cuca, Fluminense encara Atlético-MG, no Maracanã


Fluminense e Atlético-MG se enfrentam às 18h10min deste domingo, no Maracanã, pela primeira rodada do segundo turno, no campeonato brasileiro, para ambas as equipes. O Fluzão está na Zona de Rebaixamento desde a segunda rodada. Tem apenas 16 pontos conquistados, mostrando um aproveitamento abaixo da crítica (28%) e ocupando a penúltimo colocação. Já o Galo, tem um objetivo claro neste Brasileirão, que é se manter o mais longe possível da Zona de rebaixamento. Tem 24 pontos e está na 12º colocação, 5 pontos à frente do primeiro time da Zona de risco, ou seja, o Vasco.

O Fluminense, apesar da péssima situação no campeonato, está de ânimo renovado por causa do novo treinador, Cuca, que substituiu Renato Gaúcho e comandou uma semana de treinos puxados em Mangaratiba-RJ. Cuca fez algumas poucas mudanças no time do Flu. Por exemplo, no ataque, Somália está barrado. No lugar dele, Dodô volta ao time, depois de estranhamente ficar de fora de alguns jogos e jogará ao lado de Washington. No meio-campo, com Fabinho suspenso e Arouca machucado, Cuca escalará Romeu e Maurício, que serão os cães de guarda do Flu, dando proteção aos ofensivos Conca e Tartá. Na lateral, outra mudança: Eduardo Ratinho, ou tão somente Eduardo, recém contratado ao Toulouse-FRA, fará sua estréia com a camisa tricolor, e Carlinhos volta ao banco.

Já o Atlético-MG entra em campo no Maracanã com o objetivo de recuperar fora de casa os três pontos perdidos para o líder Grêmio, em pleno Mineirão, na última rodada. O treinador Marcelo Oliveira deve manter o mesmo time que perdeu pro Botafogo, por 3x1, na última quinta-feira, pela Copa Sulamericana.

FLUMINENSE:
Fernando Henrique;
Eduardo, Luiz Alberto, Roger e Júnior César;
Romeu, Maurício, Tartá e Dario Conca;
Dodô e Washington

ATLÉTICO-MG:
Edson;
Mariano, Leandro Almeida, Marcos e Renan;
Rafael Miranda, Márcio Araújo, Serginho e Petkovic;
Marques e Jael

ANÁLISE POR EDUARDO: Caros tricolores, como estamos acostumados a presenciar neste Brasileirão, mais um duelo de vida ou morte. O Atlético-MG é um adversário direto na luta contra o rebaixamento, e o Fluminense não pode vacilar mais. No início desta semana, Renato foi demitido e Cuca foi contratado para o seu lugar. O novo treinador não perdeu tempo e treinou à exaustão o time tricolor, que, segundo os jornais, mostrou muito empenho. De cara nova, na estréia do nosso novo treinador e dentro de casa, nosso time quererá mostrar serviço. Nosso adversário vem de uma pesada derrota para o Botafogo em jogo válido pela Copa Sulamericana e, no ano do centenário, tenta se distanciar da Zona da Degola. É outro que tenta desesperadamente a vitória.

O nosso Flu vem de maus resultados. Nos últimos 4 jogos, perdeu 3 vezes. Contudo, mostrou certo progresso nas últimas exibições. Ganhou bem do São Paulo e, provavelmente, ganharia do Ipatinga, caso Fabinho não tivesse sido expulso. Ainda conta com um novo ânimo, com jogadores querendo impressionar o novo treinador. O Galo também vem de derrota, mas se encontra numa posição melhor no campeonato e chega cauteloso ao Maracanã. Acredito numa vitória suada do Fluminense, que contará com o apoio da torcida e motivação para vencer um difícil adversário em casa.

PALPITE: Fluminense 2x1 Atlético-MG

ANÁLISE POR FELIPE: Jogo da nova era para o Fluminense. Era de um técnico que deu certo no Botafogo, mas não deu certo no Santos, por isso, passar a ser uma incógnita. Todos os Tricolores se perguntam: será que vai dar certo? Pois é, amigos, só o tempo dirá!

Espero que dê certo e também confio no Cuca. É um bom técnico, entende de tática, vai deixar o time com padrão de jogo, algo que com Renato não tinha. Um exemplo disso é que o time treina à exaustão, bolas paradas, contra-ataques e etc...
Já com Renato, era rachão e mais rachão. Contudo, digo que a culpa não foi só dele. Seria muito injusto dizer isso, afinal um treinador que nos levou a final da Libertadores e ganhou a Copa do Brasil não pode ser ruim de um momento pra outro. O elenco, a diretoria... Todos têm sua parcela de culpa.

Digo que a diretoria é a maior culpada por isso tudo. Houve muita falta de planejamento. Nossa diretoria planejou um time titular, não um elenco, e o pior é que sabiam que se chegássemos onde chegamos ia ter perdas no elenco. É extremamente vergonhoso saber que temos uma diretoria de time de várzea, uma diretoria que não merece o clube que administra, é um amadorismo absurdo e sem fim. Prova disso é o que aconteceu com o jogador Urrutia que o Fluminense pretendia contratar. Nossa diretoria fala com ele, acerta salário, o jogador já estava falando como se fosse do Flu, mas esqueceram de falar com a LDU. Agora como o jogador vai se transferir sem comunicar nem acertar nada com o time? Simplesmente Ridículo.

Bom, chega de falar de diretoria, vamos ao jogo! É mais um jogo de vida ou morte para o nosso tricolor. Mesmo se ganhar, não sairá da zona de rebaixamento. Nossa situação é complicada, mas acredito que vamos sair dessa. O Tricolor tem novidades. Temos a estréia do lateral-direito Eduardo, a volta de Luiz Alberto, que estava suspenso, e de Dodô, que tinha pedido pra ser afastado. Contudo, ainda não teremos Arouca, machucado, e Fabinho, suspenso, que será substituído por Mauricio.

A situação Atlético não é tão preocupante, mas está perto da Zona de Rebaixamento e precisa se cuidar. O Galo vem completo, com o mesmo time que enfrentou o Botafogo no meio de semana pela Sul-Americana. Acredito num jogo difícil para ambos os times, até porque os dois tem campanhas pífias e lutam pra se recuperar no Campeonato.

PALPITE: Fluminense 0x2 Atlético-MG

Saudações Tricolores

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Entrevista com João Paulo!

Bom, galera tricolor, a nossa colaboradora Júlia conseguiu uma entrevista exclusiva com o João Paulo, lateral das categorias de base do Fluminense! Aqui vai a entrevista completa!


FICHA TÉCNICA:
Nome: João Paulo Purcino
Posição: Lateral-esquerdo
Data de nascimento: 20/07/1990
Ex-clubes: Atlético-MG, CFZ.
Naturalidade: Pouso Alto - RJ

1 - Há quanto tempo você joga no Fluminense ?
R = Estou jogando há 2 anos e meio.

2 - Como é treinar em Xerém ? O que na sua opinião, precisa ser feito?
R = Na minha opinião, Xerém é um ótimo lugar pra concentrar a base, tem uma ótima estrutura. Não é à toa que muitas jóias vêm de lá. Os campos poderiam melhorar um pouco, mas, de resto, é muito bom.

3 - Como você se relacionou com os jogadores do profissional do Fluminense? Quais foram os mais receptivos com você?
R = Eu cheguei num bom momento, na Libertadores. Quando cheguei tava todo mundo bem, o clima foi ótimo e fui muito bem recepcionado. Todos foram receptivos, sem exceções. O Conca foi muito simpático e meus companheiros de base me deram moral.

4 - Como você chegou ao Fluminense?
R = Eu jogava no CFZ, time do Zico no Rio. Joguei lá há um ano. Me destaquei no primeiro ano de juvenil, então o olheiro Edevaldo me viu e me trouxe pro Flu.

5 - Como você se sentiu na estréia pelo time profissional? Como você avalia a estréia?
R = Estava com um friozinho na barriga, mas estava tranqüilo, pois sabia que estava ali porque tinha potencial. Me deram muita tranqüilidade para jogar e tiraram todo um peso que havia. Esperava ter jogado melhor, mas tenho certeza que estarei mais leve da próxima vez.

6 – Você já teve oportunidade de treinar com o técnico Cuca? Quais são suas impressões e quais as diferenças dele do Renato?
R = Já sim, treinamos hoje, não deu ainda para ver as diferenças em um treino só. Mas percebe-se que ele quer muito levar o Flu ao lugar que merece, só que as diferenças entre os treinadores só poderei perceber com o tempo.

7 – Qual seu maior sonho?
R = No momento, me firmar no time profissional do Fluminense.

8 - O que você costuma fazer nas horas vagas ? E tem algum outro esporte que você goste?
R = Hoje em dia aproveito para dormir e descansar. Às vezes saio com amigos, mas faço programas mais leves. Gosto de vôlei, minha irmã e minha mãe praticam.

9 - Qual profissão você seguiria se não fosse jogador?
R = Sendo sincero, não sei direito. Mas acho que seria administrador de empresas.

10 - Se você tivesse que jogar no exterior, em qual clube gostaria de jogar?
R = Manchester United.

11 – Quais são suas principais características como jogador?
R = Costumo me destacar na bola parada, tenho boa técnica e uma boa preparação física.

12 – Mande um recado para a torcida dizendo o que ela pode esperar de você.
R = Podem ter certeza que não vai faltar comprometimento e dedicação, o resto é dentro de campo.

Créditos da entrevista: [FFC] Júlia.

Saudações Tricolores

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

COLUNA DO SUPERNATURAL... "NADA DE CARNE, SÓ LEGUMES!"

Eiro, eiro, eiro... Time de PIPOQUEIRO!

Vendo os jogadores se portando no jogo versus o fraquíssimo Ipatinga, imaginei um tempo não muito distante, em que via um time jogando várias vezes, com jogadores limitadíssimos, de caráter e qualidade técnica duvidosa. Lembrei de um time que não assustava seus adversários, um time fraco, sem sal, que perdia o fôlego no transcorrer da competição, amarelando e daí sendo chamado de medíocre! Este time tinha um excelente treinador, só a diretoria não via, porém este treinador foi dispensado, mesmo todos sabendo de sua grande qualidade técnica e tática, um estrategista! Esse time se chama: BOTAFOGO! Daí eu somente posso dizer uma coisa: “Obrigado Pequenino Botafogo por ter dispensado o Cuca, a partir de agora iniciamos nossa fase de VITÓRIAS!” BEM VINDO CUCA! Aqui nada de chororô, só sorrisos!

CHUTANDO O BALDE...

Agora falando do Flu...

Vergonhosa a participação do time no 1º turno! Ridículo! Envergonhem-se tricolores! Somos os últimos, e os últimos, com o elenco limitadíssimo do Fluminense FC, apático, inexpressivo! Não é questionar o treinador (mais abaixo falaremos sobre ele), os jogadores, diretoria ou torcida, simplesmente o TODO está errado, perdemos a sintonia desde a fatídica derrocada para a LDU.

A churrascaria fechou!

Valeu Renato! Obrigado por tudo, mas sabemos que nosso vitorioso-herói-falastrão-profeta-sábio-poeta-churrasqueiro treinador não tinha mais clima para ficar no Fluminense! Não vou queimá-lo, fez sua parte e deixou de fazer sua parte... Quem sabe um até breve, Portaluppi!

E quem mais não vem?

La CUCAratcha! Caramba! Agora a bola da vez chama-se Dátolo, ele é aquele que mais não vem! O Gordo TOLO não conseguiu fechar com o DaTOLO! Perdão pela piadinha, mas é de rir para não chorar com o nosso coordenador PESO PESADO! Até agora ninguém anunciou a próxima NÃO CONTRATAÇÃO do Flu! Branco... Na boa... CALA A BOCA DESSA VEZ!

Palpites...

Cozinhar o Galo não da mais.... Tá na hora da recuperação! Quero retornar próxima semana com um grito de guerra: É CANJA, É CANJA DE GALINHA... E é Fluzão na cabeça, 2x1 contra o Patético MG!

“E PELO FLUMINENSE TUDO!”

Saudações Tricolores

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Cuca é o novo técnico tricolor


O que já era esperado por muitos na segunda-feira foi confirmado: Cuca é o novo técnico do Fluminense. Na sua apresentação, o treinador disse que "era Fluminense quando jovem mas que isso não adiantará de nada se ele não fizer um bom trabalho". Também disse que pretende ser campeão do segundo turno e que já tem um time em mente. Aí que surgem várias hipóteses: Dodô voltará a ser titular? O 4-4-2 continuará sendo o esquema sempre utilizado?

Perguntas como estas só serão respondidas ao passar do tempo, mas de uma coisa temos certeza: teremos treinos táticos e a era dos rachões-forever acabou! Para muitos (que não gostaram da novidade) o fato de Cuca não ter conquistado nenhum título por nenhum clube pesa e seu último trabalho no Santos também. Porém, estes se esquecem que Renato nunca tinha conquistado título até chegar ao Fluminense e que o time do Santos é pior que o nosso. Uma coisa eu peço: deixem o cara trabalhar! Dêem tempo a Cuca, e ele nos dará tempo para respirar - espero - no campeonato. E também peço à diretoria para darem condições pro cara trabalhar, tem que cuidar do nosso gramado desprezível logo ou senão construir um CT digno pro Fluminense. Se o Fluminense investir em estrutura, vai virar um dos clubes mais vencedores do Brasil, afinal clubes que fazem isso viram potências em qualquer parte do mundo. Sorte ao Fluminense e ao Cuca.

Saudações Tricolores

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Fim da era Renato no Flu


Caros tricolores, nosso técnico caiu. Depois da derrota de virada para o lanterna Ipatinga, por 2 a 1, no Ipatingão, houve uma reunião entre os dirigentes do Flu e, por volta de uma da manhã, optaram pela saída de Renato Gaúcho. O nome mais cotado é Cuca, que recentemente deixou o Santos. Bom, diante dos nomes disponíveis no mercado, acho uma boa opção.

Essa foi a terceira passagem de Renato pelo Flu. Em 1996, quando ainda era jogador, foi utilizado por duas vezes como técnico interino na luta contra o rebaixamento. Em setembro de 2002, Renato teve outra oportunidade como técnico, quando voltou a exercer o comando da nossa equipe. Deixou o cargo quase um ano depois, em julho de 2003. Porém, poucos meses depois, entre outubro e dezembro daquele ano, teve nova passagem pelo nosso tricolor.

Na nova passagem pelo Fluminense, chegou novamente à final da Copa do Brasil. Após o empate no primeiro jogo por 1 a 1, no Maracanã, o Flu foi à Santa Catarina e derrotou o Figueirense por 1 a 0. Após 23 anos, o Fluminense conseguia um título nacional, que foi o primeiro da carreira de Renato como treinador. Com a conquista da Copa do Brasil, o Tricolor garantiu uma vaga para a Libertadores. No Brasileirão de 2007, terminamos em 4º lugar, garantindo "duas vagas" na competição. Na atual campanha da Copa Santander Libertadores da América, conseguimos uma classificação contra o São Paulo, de Muricy Ramalho, após uma heróica vitória por 3 a 1 e chegamos a uma inédita semi-final na competição, com um gol de Washington nos acréscimos do segundo tempo, de cabeça, jogada treinada à exaustão pela técnico. Na quarta fase da mais importante competição continental, disputamos as semifinais contra o Boca Juniors, com quem empatamos por 2 a 2 na primeira partida disputada em Buenos Aires e vencemos por 3 a 1 no jogo de volta no Maracanã, classificando-nos para a inédita final e Renato escreveu seu nome na história do clube. Na final, os pênaltis nos tiraram o que seria o título mais importante da nossa história.

Ao fim de mais de um ano no comando do Fluminense, o império de Renato caiu. Foram 96 jogos: 44 vitórias, 26 empates, 26 derrotas, com 163 gols-pró e 110 contra. Um ano de trabalho que me deixou orgulhoso de torcer pelo Fluminense. Nem tudo dura para sempre, Renato. Talvez fosse a hora de uma mudança no comando, talvez não, mas a diretoria optou por sua saída, e isso já está decidido. Reclamam dos rachões, da arrogância, mas você também tem MUITAS qualidades. No geral, agradeceço por tudo que nos deu.

Obrigado pelo inédito título da Copa do Brasil. Não ganhávamos um título nacional há 23 anos e você, junto com o time, deu-nos essa alegria imensa. Foi um dos melhores momentos de minha vida. Pude ver o meu time na Libertadores pela primeira vez.

Obrigado pela bonita campanha do Flu no Campeonato Brasileiro de 2007. Mesmo tendo em mãos um elenco limitado, com carências, levou-nos a ser o quarto lugar na competição, garantindo da mesma maneira uma "segunda vaga para a Libertadores".

Obrigado pela brilhante campanha do time na Copa Santander Libertadores da América. Sem nunca ter visto meu time em tal competição, sempre torci para que um dia tivesse esse privilégio. Você nos proporcionou isso e nos deu muitas alegrias. Fomos classificados em primeiro lugar geral da Competição na fase de grupos. Nas quartas-de-final, passamos pelo São Paulo, atual campeão brasileiro, com uma vitória épica, histórica, inesquecível, com um gol de Washington aos 46 min do segundo tempo. Apesar de muitos falaram de marketing, nunca me esquecerei de quando vi você se jogar no chão, após a partida. Foi um dos dias mais felizes da minha vida.

Obrigado por me ter feito presenciar o Fluminense eliminar o gigante Boca Juniors, hexacampeão da Libertadores. Sem cair para um time brasileiro desde a época do Santos de Pelé, caiu para o meu Fluminense, feito que nenhum time brasileiro conseguia. Foi uma alegria imensa presenciar meu time chegar à final da competição, eliminando o atual campeão.

Obrigado por ter me proporcionado as melhores quartas-feiras de minha vida.

Obrigado por ter me feito sorrir, chorar de alegria, ter Orgulho de Ser Tricolor.

Obrigado por sempre ter dado o seu máximo em prol do time.

Nem sempre heróis vencem, Renato. E, pensando bem, é isso que você é para mim. Um herói. Um ídolo. Encantou-me como jogador e como treinador, apesar dos recentes maus resultados. Por falar nisso, obrigado por aquele gol de barriga na decisão do estadual de 1995, lembra? Gol esse que nos deu o título carioca no ano do centenário do nosso maior rival.

Enfim, obrigado por tudo o que proporcionou a nós, tricolores, por todas as alegrias que nos deu, por levar o nosso querido time a um patamar em que nunca tinha chegado. Quem sabe um dia, mais maduro, mais sábio, você não possa voltar ao Fluminense.

Boa sorte na vida.

Saudações Tricolores

domingo, 10 de agosto de 2008

Ipatinga 2-1 Fluminense


FLUZÃO PERDE MAIS UMA E DIVIDE A LANTERNA COM O IPATINGA

IPATINGA 2 x 1 FLUMINENSE
Fred; Leandro Salino, Patrick, Henrique e Beto; Augusto Recife, Léo Silva (Márcio Gabriel), Paulinho Dias (Marinho) e Rodriguinho (Luiz Fernando); Adeílson e Kempes. Fernando Henrique, Carlinhos, Anderson, Roger e Junior Cesar; Fabinho, Romeu (Alan), Conca e Tartá (Everton); Somália (Maurício) e Washington
Técnico: Ricardo Drubscky. Técnico: Renato Gaúcho
Gols: Tartá, aos 42 minutos do primeiro tempo; Adeilson, aos 36 minutos, e Kempes, aos 38 do segundo tempo.
Cartão amarelo: Kempes
Cartão vermelho: Fabinho
Estádio: Ipatingão. Data: 10/08/2008. Árbitro: Evandro Rogério Roman(Fifa-PR). Auxiliares: Aparicido Donizetti Santana (PR) e Francisco Aurélio do Prado(PR).

E a crise do Flu continua. A torcida tricolor abaixa a cabeça, ao ver mais uma derrota. A do Ipatinga, alegra-se, ao presenciar seu time derrotar um adversário direito nesta luta terrível contra o rebaixamento. Com essa vitória, o Tigre atingiu os 16 pontos e alcançou o Flu, que passou a dividir a lanterna com o time mineiro. O Ipatinga motivou-se e, agora, passa a sonhar com dias melhores. Já o Flu... Outra derrota, e a coisa fica mais preta ainda, se é que é possível.

O início de jogo foi triste. Dois times com receio de arriscar. O Flu resolveu arriscar e passou a ameaçar principalmente nas jogadas aéreas e bolas paradas. Conca cobrou falta e Somália tocou de calcanhar para o gol, mas a bola foi pela linha de fundo. Logo depois, o argentino fez um espetacular lançamento para Washington, que dominou mal e deixou a bola escapar. O Ipatinga, quando chegava, esbarrava na sua própria falta de técnica. O gol do Flu quase saiu por causa do gramado ruim do estádio. O zagueiro Henrique, do Ipatinga, recuou para o goleiro Fred, só que a bola quicou num dos inúmeros buracos do campo e o encobriu, mas foi só tiro de meta. Novamente pressionando, quase chegamos ao primeiro gol numa bonita jogada. Romeu fez um belo passe para Carlinhos, que, pela direita, cruzou para Washington. O atacante cabeceou forte, mas Fred fez boa defesa. O Flu insistiu tanto que o gol saiu, ainda no primeiro tempo. Aos 42 min, Somália chutou forte e Fred espalmou para frente. A bola passou por Conca, que não conseguiu chutar, e paou nos pés do garoto Tartá. Inteligente, o jovem iludiu o marcador, puxando a bola para o pé esquerdo, chutou e, contando com um desvio na zaga, fez o gol tricolor: 1 a 0. No finzinho, Washington recebeu em posição legal, cruzou rasteiro para Somália, que emendou de primeira, mas não conseguiu ampliar o placar. E como esse gol fez falta!


O técnico do Ipatinga, Drubscky, fez duas mudanças no intervalo. Saíram Rodriguinho e Léo Silva, e entraram nos seus respectivos lugares Luiz Fernando e Márcio Gabriel. Resultado: no segundo tempo, o Ipatinga se tornou melhor, mais agressivo, e passou a chegar com mais eficácia. O lance que mudou o jogo aconteceu aos 5 min. O volante Fabinho, do Flu, cometeu falta dura em Adeílson e foi expulso. O Tigre, que já estava um pouco melhor na partida, tornou-se muito superior ao Tricolor. Para recompor o sistema defensivo, Renato trocou Somália por Maurício, volante, deixando Washington isolado na frente. A partir daí, o Flu se fechou e passou a jogar nos contra-ataques. Marinho entrou no lugar de Paulinho Dias e tornou a pressão do Ipatinga ainda maior. O nosso Flu se defendia como podia, fosse com chutão para a frente, faltas, ou colocando a bola para fora. Renato resolveu, então, colocar Everton Santos, estreante, no lugar de Tartá. Contudo, o jovem nem pôde fazer muito. Aos 36 min, Adeílson recebeu dentro da área, livrou-se do marcador e chutou no canto, sem chances de defesa para Fernando Henrique: 1 a 1. Aos 38, aconteceu o pior: Em cobrança de escanteio, FH saiu mal e Kempes cabeceou pro gol. Virada mineira, 2 a 1. O Flu ainda tentou, mas o resultado foi mantido, e terminamos o primeiro turno na Zona de Rebaixamento, dividindo a lanterna com o próprio Ipatinga.

ANÁLISE POR EDUARDO: Mais uma derrota. Mais uma porrada. Mais um vexame. É... Já não tenho nem o que falar. Quem foi o culpado da derrota dessa vez? Pra mim, Fabinho. Renato tem culpa do volante (se é que pode ser considerado jogador de futebol) fazer uma falta violenta, SEM NECESSIDADE, no meio-campo, sem o menor perigo de gol? Não. Mexeu mal? Na minha opinião, não. Somália e Washington são atacantes de mesma característica, então, tanto faz manter um ou outro em campo, até porque nenhum deles se destacava na partida. Antes da expulsão, estávamos ganhando, mesmo sem apresentar um bom futebol, mas ganhávamos, e isso é o que importa. Depois disso, tudo mudou. O Fluminense do primeiro tempo, que chegava com mais perigo do que o time da casa, teve que se fechar diante dos espaços deixados pelo jogador ausente e sair nos contra-ataques. O jogo passou a ser do Ipatinga, que, apesar de estar com vantagem numérica, permitia eventuais ataques do time tricolor, principalmente por meio de Tartá. Quando parecia que o time ia assegurar heroicamente a vitória, que seria a primeira fora de casa, Adeílson empata para o Tigre. Aí, meu amigo, a coisa complicou. O Ipatinga passou a pressionar o Fluminense ainda mais e, num escanteio, após uma saída errada de FH, chegou à virada. É ruim escutar a torcida gritar "Olé" com a troca de passe do adversário. Pior ainda é ver o nosso time do coração terminar o primeiro turno dividindo a lanterna do Campeonato. Contudo, o mais ridículo é ver uma direção amadora como essa comandando nosso clube. Direção ambiciosa, que só pensa em si e que é incompetente em tudo o que faz, de marketing a contratações. Estarei aqui, hoje e sempre, acompanhando nosso Tricolor e torcendo por dias melhores.

ANÁLISE POR LUIZ FELIPPE: Não preciso comentar nada, o Eduardo sintetizou tudo o que penso. Não agüento mais sofrer, mas sinceramente, vejo futuro nesse time. CULPA EXCLUSIVA DO FABINHO! Sem mais.

Saudações Tricolores

Nova participante!

Fala, galera tricolor!

Agora temos mais um novo blogueiro! Ou melhor, blogueira!

A Júlia, que muitos de vocês já devem conhecer da comunidade do orkut, participará do nosso blog, por meio de análises e posts.

-> Perfil no orkut

Seja bem-vinda, Ju!

Saudações Tricolores

sábado, 9 de agosto de 2008

Em busca de fugir da Zona, Flu encara o Ipatinga, em Minas


Chegou a hora de embalar de vez. Após uma boa virada contra o time do São Paulo, no Maracanã, o nosso Fluminense, que tem 16 pontos e ocupa a vice-lanterna da competição, vai para Minas Gerais com a moral elevada e, se conseguir a vitória desejada, pode sair da zona maldita, caso Santos e Náutico empatem, ou, até mesmo, Vasco e Portuguesa tropecem. O Ipatinga, que ocupa a última posição com 13 pontos, busca a vitória a qualquer custo para tentar uma reação e, no futuro, sair da zona. Se ganhar , chega aos 16, mas precisa vencer por uma diferença de 4 ou mais gols para passar a lanterna para o Tricolor.

O técnico Renato Gaúcho gostou do desempenho da equipe no último jogo e deve manter o 4-4-2. A única mudança deve ser a saída obrigatória do zagueiro Luiz Alberto, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo, que será substituído por Anderson. Renato também pode contar com Everton Santos e Eduardo, que foram regularizados, mas falou à imprensa que pretende colocá-los aos poucos, para ganharem ritmo.

Já o Tigre tem como único desfalque certo o zagueiro Gian, que está se recuperando de lesão. Tiago Veira, que vem sentido dores no tornozelo direito, é dúvida para a partida e também pode desfalcar o time. O técnico Ricardo Drubscky pode escalar o time no 4-4-2, com a defesa, que não apresentou as falhas de costume na derrota para o líder Grêmio, formada por Patrick e Henrique ou promover a volta de Léo Oliveira, formando uma linha de três zagueiros. No meio, Drubscky não divulgou se escalará o volante Xaves ou o meia Rodriguinho, que deixaria o time mais ofensivo, mas Augusto Recife tem seu retorno já confirmado. A dupla de ataque ainda é uma dúvida. Três jogadores brigam por uma vaga ao lado de Adeílson: Kempes, Marinho e Michel. Os recém-contratados Ferreira e Henrique não devem ser relacionados para a partida.

IPATINGA:
Fred;
Leandro Salino, Patrick (Leo Oliveira), Henrique (Tiago Vieira) e Beto;
Augusto Recife, Paulinho Dias, Xaves (Rodriguinho) e Leo Silva;
Adeílson e Marinho (Kempes)
Técnico: Ricardo Drubscky

FLUMINENSE:
Fernando Henrique;
Carlinhos, Anderson, Roger e Junior Cesar;
Fabinho, Romeu, Conca e Tartá;
Somália e Washington.
Técnico: Renato Gaúcho.

ANÁLISE POR EDUARDO: Caros tricolores, é mais um jogo de vida ou morte, desta vez para ambas as equipes, ou seja, mais uma batalha. O Flu busca a vitória para sair da Zona. O Ipatinga, para melhorar sua situação no Campeonato, apesar de precisar de uma goleada para passar a lanterna. O nosso Tricolor vem de novo com uma equipe menos desfalcada, mais "arrumada". Se repetir o desempenho e a vontade que teve contra o São Paulo, no Maraca, tem grandes chances de ganhar. Já o Tigre, apesar de jogar em casa, vem pressionado em busca de resultados e enfrenta, desta vez, o Fluminense motivado após a última vitória. Por isso, aposto numa vitória do Flu.

Palpite: Ipatinga 0x2 Fluminense

ANÁLISE POR LUIZ FELIPPE: Bom, na minha opinião, o jogo é bem difícil. O Ipatinga vem mostrando muita determinação em seus jogos, e, acima de tudo, muita obediência tática. O que claramente falta ao time mineiro é um pouco mais de técnica. A partida tem tudo para ser amarrada no meio-campo, mas o Flu conta com mais talento na meia cancha, e isso pode ser determinante.

O Fluminense vai entrar praticamente com o mesmo time que venceu o São Paulo, na última quarta-feira, por 3x1, com show de Washington. Digo praticamente, já que Anderson substitui Luiz Alberto, que pela sexta vez foi punido com o cartão amarelo e, por isso, está suspenso. Carlinhos merece a titularidade, já que Eduardo ainda não está 100%, e por ter feito uma partida até boa contra o São Paulo. Roger teve culpa direta nos últimos três gols que o Flu sofreu, e, por isso, acho que colocar o Sandro seria a melhor opção, neste momento.

Fabinho, Romeu, Tartá e Conca formam o meio-campo. Fabinho e Romeu vão, como sempre, ficar ali como nossos cães de guarda. Como sempre, errando passes, fazendo faltas, mas com muita disposição. Tartá deverá cair pelos flancos do campo, pra fazer as jogadas aéreas pra dupla gigante de ataque. Com isso, Darío Conca deverá voltar bastante pra buscar a bola, já que nossa saída de jogo com Romeu e Fabinho é temerosa.

No ataque, novamente Somália e Washington jogarão juntos, e espero que assim como contra o São Paulo, os dois joguem juntos de fato, ou seja, os dois centralizados procurando uma tabela rápida, objetivando entrar na área mineira. Analisando tudo, acredito que o jogador chave pode acabar sendo Tartá, que, mais do que todos, terá de se movimentar bastante. As jogadas pela esquerda juntamente com Júnior César podem ser mortais, ou até pela direita com as chegadas do bom cruzador Carlinhos.

Já o Ipatinga, que segura a lanterna deste campeonato brasileiro, com apenas 13 pontos, ainda não tem definido seu time para o confronto decisivo de domingo. O bom treinador Ricardo Drubscky faz um certo mistério para a partida. A dúvida é: Xaves ou Rodriguinho. Rodriguinho é um jogador mais ofensivo, habilidoso, veloz e chega muito bem ao ataque. Já Xaves é um volante marcador mesmo, que sabe bater que nem gente grande e, caso entre, deverá fazer uma marcação especial em Conca. Contudo, mesmo sem Xaves, o treinador do time mineiro colocará algum de seus volantes perseguindo o argentino.

Augusto Recife, Paulinho Dias e Léo Silva são os outros três jogadores do meio-campo mineiro, que formam um meio pouco criativo, mas muito marcador. No ataque, o Ipatinga conta com Adeílson e Marinho. Adeílson é um jogador rápido e habilidoso e com boa presença de área, tanto que é o artilheiro do Ipatinga neste brasileirão, com cinco gols. Marinho, o camisa 9 do time, já jogou no São Paulo e também no Atlético-MG, onde foi o principal goleador na Série B 2006. Outro perigo são as bolas paradas com o lateral Beto, que já fez dois gols desse modo no campeonato. Contudo, acho que o ataque do Ipatinga é a principal arma do time da cidade do aço.

Palpite: Ipatinga 2x3 Fluminense

ANÁLISE POR FELIPE: Depois de uma bela vitória em cima do São Paulo, no Maracanã, o nosso Tricolor sai para enfrentar o lanterna do campeonato, precisando vencer e podendo até deixar a Zona de Rebaixamento na mesma rodada. Muitos acham que, por se tratar do Ipatinga, vai ser fácil, mas não vai ser, não, e o próprio Ipatinga comprova isso. Será um dos jogos mais importantes e um dos mais difíceis deste campeonato para nós. O que comprova isso é que o Ipatinga vem dificultando muito a vida de seus adversários dentro e fora de casa, tanto que o líder do campeonato, o Grêmio, só fez 1x0 e no Olímpico.

O Fluminense não contará com Arouca, machucado, e Luiz Alberto, que foi suspenso no jogo contra o São Paulo. Acho que Renato repetirá a escalação do jogo anterior, só tirando Luiz Alberto e colocando o jovem Anderson, que é bom jogador, mas eu preferiria Sandro para substituir nosso xerife.

Já o Ipatinga vem com tudo pra vencer, pois a sua situação no campeonato não é nada boa. Não tem escalação definida, pois seu técnico ainda tem dúvidas sobre o meio campo. Cito um jogador do Ipatinga com que o Fluminense tem que ter cuidado: o atacante Adeílson, artilheiro da equipe nesse campeonato.

Papite: Ipatinga 0x3 Fluminense

ANÁLISE POR JÚLIA: A minha opinião vai ser baseada na apresentação que a equipe teve no jogo diante do São Paulo. Isso porque não pude acompanhar os piores momentos do time (estive viajando para o exterior desde o jogo contra o Vasco), mas li alguns comentários e estou sabendo dos problemas táticos e de motivação.

A posição do Ipatinga pode estar camuflando o seu possível desempenho. O Ipatinga pode ter perdido alguns jogos em casa, mas vende MUITO caro essa derrota, tanto que times da parte de cima da tabela tiveram dificuldades para passá-lo. O Fluminense não pode se deixar enganar (e pelo visto não está, pelas declarações dos jogadores) por isso. O jogo é mesmo de 6 pontos.

Acho que Somália e Washington serão essenciais nesse tipo de jogo.
Gramado ruim, torcida perto do campo: isso favorece a jogada aérea, e ter 2 especialistas no assunto no ataque é importante. Além do mais, já que ultimamente o time precisa de lançamentos para poder entrar na área adversária, com esses 2 disputando a bola, é mais fácil colocá-la no chão. Tartá e Conca são ótimas opções pra jogos como esse também, pois são rápidos, e, no contra-ataque, podem pegar o time mineiro de surpresa.

Por outro lado, a maior qualidade do Fluminense no último ano vem sendo o seu pior defeito. Roger e Anderson não formam uma zaga segura. Eu optaria por Sandro e Anderson. O ciclo do Roger no Fluminense COMO JOGADOR já acabou, por incrível que pareça. Roger é lento, e um zagueiro não pode ter esse defeito. Sempre perde em corridas mano a mano, é faltoso e desajeitado. Quem sabe se ele não fizer como o Romeu, e tirar aquela juba dele (que nos dá a nítida impressão de que o atrapalha), ou colocar uma faixa à la Renato Gaúcho ele não melhore. É uma sugestão, afinal ele e seu companheiro de zaga precisarão tomar muito cuidado com o destaque do Ipatinga, Adeílson.

Resumindo, o Fluminense precisa retomar seu espírito do ano passado quando jogava fora de casa, porque a campanha neste ano é pífia. São 2 empates e 6 derrotas. Nós podemos começar o segundo turno do Brasileirão fora da zona de rebaixamento, basta superar o ansioso e nervoso Ipatinga e torcer para um empate entre Náutico e Santos.

Palpite: Ipatinga 1x2 Fluminense

Saudações Tricolores

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

E esses reforços que não chegam...


É, amigos, está provada a incompetência dos nossos dirigentes. Já tinha feito um post sobre isso, criticando o trabalho do Branco esse ano e a falta de planehamento da nossa diretoria. Bom, queria estar enganado a respeito disso, mas infelizmente eu estava certo. De uma lista com 14 nomes, se não me engano, só 2 vieram. Há maior prova de incompetência do que isso? Acreditem, SIM! O pior é Branco viajar para Europa para tentar trazer esses esperados "reforços" e voltar com as mãos ABANANDO! Ou seja, só foi fazer um tour e comer do bom e do melhor. Tentou trazer Leandro Lima, Jadson, Willian, Mineiro...E quem veio? NINGUÉM! Pô, eu sei que é difícil e tal, mas não trazer ninguém e não tentar outros jogadores é muita incompetência.

De reforços, só vieram Everton Santos, atacante que foi revelado pelo Bragantino, sendo, logo depois, contratado pelo Corinthians e, após um bom começo, caiu de rendimento, sendo negociado com o PSG, e Eduardo, lateral-direito que estava no Toulouse da França, também revelado pelo Corinthians. Particularmente, gostei das duas contratações. Eduardo é um bom lateral, técnico, bom em chutes de fora da área, cruzamentos e cobranças de falta. Já Everton, é uma aposta de Branco. Joga pelos lados do campo e é veloz, então, pode dar certo no Flu, já que antes não tínhamos atacantes desse estilo à disposição. Mesmo assim, nosso elenco continua muito carente em algumas posições. Faltam volantes de qualidade (Fabinho e Romeu, apesar de terem jogado bem, até acima de suas capacidades, no jogo contra o São Paulo, são bem ruins) e, pelo menos, mais um meia para a reserva. Estávamos negociando com Urrutia, volante da LDU, que até já estava falando como jogador do Fluminense, só que recentemente saiu a notícia de que o time não queria liberá-lo para o Flu. E olhe que o nosso site falou que ele vinha terça passada para fazer os exames médicos! Não aprendem, não ficam de boca fechada! E o sonho da vez: DÁTOLO, volante/meia do Boca Juniors. Acredito que não venha, pois o Boca não aceita as propostas do Flu, que, com o grupo SONDA, tenta comprá-lo e, além do mais, o próprio jogador deixou a entender que não deseja sair do time argentino. Se viesse, o que é muito, mas muito, difícil, seria uma das melhores contratações da temporada (Luiz até falou que, se ele viesse, mudava o nome para Luiza), mas não é melhor achar que ele vem para depois se decepcionar, algo muito comum se tratando da nossa "querida" diretoria. Enquanto isso, com o nosso elenco carente, sofremos no Campeonato. Conseguimos uma boa vitória na quarta e espero que isso motive o time, para que possamos sair dessa situação incômoda, pois o Flu não é time pra ficar brigando pra escapar do rebaixamento, não! É time grande, é pra formar equipes para disputar o TÍTULO! Espero que, com os problemas sofridos esse ano, nossa diretoria se torne menos amadora e faça um planejamento decente pro ano que vem. Contudo, ainda queremos reforços pra 2008! Ou melhor, não é uma questão de "querer", é por precisar mesmo!


Em tempo: Everton Santos e Eduardo, que não quer mais ser chamado de Ratinho, já foram regularizados e podem estrear contra o Ipatinga. A intenção do Renato é lançá-los aos poucos, para ganharem ritmo e, por isso, é provável que não comecem como titulares, mas podem entrar no decorrer da partida.

Saudações Tricolores

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Fluminense 3-1 São Paulo


FLUZÃO BATE O SÃO PAULO RELEMBRANDO OS TEMPOS DE LIBERTADORES

FLUMINENSE 3 X 1 SÃO PAULO
Fernando Henrique. Carlinhos (Anderson), Luiz Alberto, Roger e Junior Cesar; Fabinho, Romeu, Tartá e Conca; Somália (Maicon) e Washington. Rogério Ceni, Éder, André Dias, Rodrigo e Richarlyson; Zé Luis (Aloísio), Joilson, Hugo (Jean) e Jorge Wagner; Éder Luis e André Lima.
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Muricy Ramalho.
Gols: Hugo, aos 3, Washington, aos 9, 17 e 38 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Joilson, Hugo e Richarlyson (São Paulo) Luiz Alberto (Fluminense).
Estádio: Maracanã. Data: 06/08/2008. Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF). Auxiliares: Renato Miguel Vieira(DF) e Enio Ferreira de Carvalho (DF). Público: 8.515 pagantes. Renda: R$ 121.121,00.

Novamente no Maracanã. De novo às 21h45 min. Outra quarta-feira. Coincidência ou não, outra vez o nosso Tricolor venceu o São Paulo por 3 a 1, com importantes gols de Washington. A vitória era mais do que necessária para a nossa equipe, e há quem diga que o cargo do Renato estava em jogo, pois, dependendo de um mau resultado, ele poderia ser demitido. Contudo, o Fluminense conseguiu apresentar um melhor futebol do que vinha apresentando e bateu o atual Campeão Brasileiro, que não jogou bem.

Dessa vez, Renato pôde contar com um time menos desfalcado. Escalou um 4-4-2, como pensávamos, com Carlinhos, recuperado de lesão recentemente, na lateral-direita no lugar de Maurício, que antes era improvisado na posição. Tartá e Washington, suspensos contra o Inter, voltaram ao time. Somália entrou no ataque, na vaga de Dodô, que pediu para não ser relacionado para a partida. Depois de muitas rodadas, conseguimos entrar em campo com um time menos desfalcado do que o normal.

Do outro lado, o técnico Muricy Ramalho também entrou com um 4-4-2, contando com a volta do volante Zé Luís e do meia Hugo, ambos suspensos na partida contra o Vasco, e um ataque formado por André Lima e Eder Luís. A maior diferença era o psicológico: enquanto o Flu passava por uma crise, o São Paulo vivia uma boa fase e vinha de um goleada sobre o mesmo Vasco que tinha empatado com o Flu por 3 a 3.

O Fluminense entrou em campo pressionado devido aos maus resultados e viu uma parte da torcida protestar, vestida de preto, de luto, brandindo caixões com nomes de jogadores tricolores e carregando faixas de revolta contra um time fraco e apático, além de criticar o técnico Renato Gaúcho. Precisando mais do que nunca da vitória, o Flu entrou em campo tentando pressionar o São Paulo. Contudo, encontrava dificuldades para entrar na área adversária. O São Paulo, por sua vez, esperava o Flu e saía nos contra-ataques, levando perigo principalmente quando saía pela esquerda, com o meia Jorge Wagner e o lateral Richarlyson. Já o Flu, que tinha Somália caindo pelos lados e Washington centralizado, dois homens de área, tentava chegar ao gol pelos cruzamentos ou por meio de jogadas de Conca e Tartá, que geralmente terminavam errando o último passe. Assim, passou-se um primeiro tempo sem grandes oportunidades e o 0 a 0 continuou no placar.


No segundo tempo, o São Paulo começa no ataque e logo chega ao gol, aos 3 min, quando o veterano zagueiro Roger afasta mal de cabeça e Hugo pega de primeira, dentro da área, deixando o time paulista na frente e deixando a entender que a crise do Flu iria continuar. Precisando reverter o terrível resultado, o nosso Tricolor partiu para o ataque e logo Washington perdeu uma oportunidade, cabeceando por cima do gol de Rogério Ceni após cruzamento do esforçado Somália. Mas, aos 9 min, conseguimos empatar. Romeu, que estava jogando o que sabia e o que não sabia, recebeu a bola dentro da área e sofre pênalti do lateral-direito Éder. Aí, meus caros amigos, passou o filme dos pênaltis na final da Libertadores e fiquei com o coração na boca. Entretando, Washington mostrou ter se recuperado do baque e bateu muito bem, chutando forte e sem chances de defesa para Rogério. O gol incendiou o time do Flu, que passou a jogar com mais vontade e ameaçar a baliza do adversário. Aos 17 min, Junior Cesar rouba a bola de Hugo no meio-campo e puxa o contra-ataque. Conca recebe do lateral, perde a bola e Tartá ganha na velocidade, arrancando pela esquerda e cruzando. A bola passa por Conca e pára nos pés do abençoado Washington, que desconta toda a sua raiva, chutando com muita força e virando o jogo para o nosso Tricolor. A partir daí, o Flu passou a cozinhar o jogo, querendo garantir a importante vitória. O São Paulo tentava, mas esbarrava nos seus próprios passes errados. O castigo final veio aos 38 min, novamente dos pés de Washington. Tartá recebeu pela esquerda e tocou para o iluminado, que na base da vontade e persistência, empurrou para os fundos das redes, fazendo 3 a 1 e selando a vitória do tricolor carioca. A vitória lembrou-me do segundo jogo pelas quartas-de-final da Libertadores, quando vencemos o mesmo São Paulo por 3 a 1, com a participação fundamental de Washinton. É, amigos, a estrela do atacante brilha contra a equipe paulista.

Com a vitória, o Flu chega a míseros 16 pontos, continuando na 19ª posição, na Zona de Risco. O São Paulo continua no G-4, com a vitória do rival Palmeiras sobre o Vitória. Contudo, mais do que os 3 pontos, a vitória serviu para que a equipe ganhasse confiança e, quem sabe, num futuro próximo, deixar de vez essa zona maldita, que não condiz com a nossa tradição.

NOTA: Este post deveria ter sido publicado ontem, mas, devido ao horário do término da partida, só pôde ser divulgado hoje.

ANÁLISE POR EDUARDO: Amigos, errei por pouco o placar. Esperava uma vitória do Flu para buscar sair da crise que atravessamos e isso acabou por se confirmar, embora com mais gols do que eu esperava. Washington foi decisivo, assim como naquela partida pelas quartas... E que partida foi aquela, talvez a melhor entre times brasileiros desta temporada! A de ontem não foi tão bonita como aquela, mas conseguimos vencer pelo mesmo resultado, embora com um time desfalcado e sem nossos dois principais jogadores. Não diria que o Flu foi muito bem em campo, só foi melhor do que o São Paulo, que foi bem ruim. Contudo, é notável a melhora no futebol apresentado pelo nosso Tricolor. Espero que essa vitória, como o próprio Washington disse, seja o marco da nossa saída da Zona e que, com alguns reforços, que até agora não vieram, consigamos passar a almejar pelo menos uma classificação para a Sul-Americana.

ANÁLISE POR FELIPE: Caros tricolores, enfim vencemos. Precisávamos dessa vitória e ela veio para dar moral ao grupo e ao Renato. Vencemos o São Paulo, que, há 77 dias, eliminávamos das oitavas-de-final da Libertadores. Entretanto, hoje a situação é bem diferente, o São Paulo lutando para ficar entre os líderes e o Fluminense, para escapar da Zona de Rebaixamento.

Podemos dizer que o Fluminense foi amplamente melhor no 2º tempo. O primeiro tempo foi brigado, as duas equipes não jogaram bem, não tiveram muitas chances de gol e o jogo ficoutravado no meio-campo. Já o segundo foi bem diferente. Começou com ambas as equipes buscando o ataque. O São Paulo chegou ao gol logo no começo com Hugo. A partir daí, o Fluminense passou a dominar e conseguiu o gol de empate num pênalti sofrido por Romeu e convertido por Washington aos 9 minutos. Logo o Flu foi buscar a virada e ela acabou acontecendo aos 17 minutos, num cruzamento de Tartá, Conca tentou cabecear mas não conseguiu e a bola sobrou para Washington estufar a rede de Rogério Ceni.

O Flu, então, soube administrar a vantagem numérica e o São Paulo, desesperado, tentava pelo menos empatar. Doce ilusão. Logo o Flu pôs números finais ao jogo aos 38 minutos, depois de um chutão, o jovem Tartá ganhou do zagueiro e passou para o Washington, que fez 3x1 pro Fluminense e garantiu a vitória.

Saudações Tricolores

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Agonizando, Flu encara o São Paulo no Maracanã


Duelo de tricolores, nesta quarta-feira, às 21h50min, no Maracanã. De um lado, o São Paulo, tricolor paulista, em boa fase e no G-4, com 30 pontos, após uma grande vitória sobre o Vasco por 4 a 0, no Morumbi. Do outro, o nosso Fluzão, na Zona de Rebaixamento, com 13 míseros pontos, numa situação crítica, vindo de 3 derrotas seguidas, a última deles para o Internacional por 2 a 1, em pleno Maracanã. A fase é tão ruim que, mesmo vencendo o São Paulo, não saímos da Área de Risco.

Vejo esse próximo jogo e me lembro daquela noite épica, no dia em que nos classificamos pela primeira vez às semifinais do maior torneio da América do Sul, após uma emocionante vitória por 3 a 1, com um gol de Washington aos 46 min do segundo tempo. Só que dessa vez, a situação é totalmente diferente. Em vez de estarmos brigando pelo título, estamos brigando para não cair, pelo menos por enquanto. E o time não é mais o mesmo. Daquele time da Libertadores, o técnico Renato Gaúcho só pode contar com cinco titulares: Fernando Henrique, Junior Cesar, Luiz Alberto, Conca e Washington. Cícero e Gabriel foram vendidos, Dodô pediu para não jogar, os dois Thiagos estão a serviço da seleção, Ygor na reserva e Arouca contundido. Então, Renato provavelmente escalará o time no 4-4-2, com a volta de Tartá, que estava suspenso, no meio ao lado de Conca e Somália no ataque, fazendo companhia a Washington. Carlinhos provavelmente será a novidade na lateral-direita, após ter se recuperado de lesão. Romeu deve continuar ao lado de Fabinho na cabeça-de-área e Roger na zaga, ao lado de Luiz Alberto.

O São Paulo também não tem o mesmo time do último encontro entre as equipes. Dagoberto está suspenso, Miranda machucado, Hernanes e Alex Silva estão a serviço da seleção olímpica e Adriano e Fábio Santos deixaram o clube. Contudo, conta com as voltas de Zé Luís e Hugo, suspensos, e contará com Jorge Wagner, que, naquela partida, ainda estava se recuperando de lesão. André Lima e Rodrigo, novos reforços, também estarão à disposição de Murcy Ramalho, que escalará o time provavelmente no 4-4-2, contando com um ataque veloz, formado por Eder Luís e André Lima.

ANÁLISE POR EDUARDO: Bom, caros tricolores, mais um confronto importante no Maracanã. Enfrentaremos, desta vez, um São Paulo embalado após a última goleada sobre o Vasco, contando com o retorno do meia Hugo e do volante Zé Luís, além de um ataque jovem que aposta na velocidade. Já nós amargamos na Zona do Rebaixamento, com desfalques importantes e sem contar com reforços à altura para as próximas partidas, já que o Branco (maldito seja!) voltou da Europa com as mãos abanando. Contudo, teremos um time com um lateral-direito de ofício, por mais ruim que ele esteja jogando, e com um dedicado Somália, na vaga de Dodô, além de podermos contar com a habilidade de Tartá, no meio, que fez uma grande besteira ao ser expulso no último jogo. Espero um bom jogo entre as duas equipes e que, finalmente, reencontremos um bom futebol, que nos faça conseguir 3 pontos preciosos nesta luta contra o rebaixamento. Que nossos jogadores se inspirem naquela noite épica!

Palpite: Fluminense 2 x 1 São Paulo

ANÁLISE POR FELIPE: É, tricolores, mais um jogo de vida ou morte no Maracanã. Agora, o nosso Fluzão enfrenta o São Paulo, time que a 77 dias atrás estávamos eliminando nas quartas-de-final da Libertadores (não tem como esquecer aquele gol do Washington aos 46 minutos do 2º tempo) no mesmo palco, num dos melhores dias da minha vida.

Enquanto o São Paulo está numa colocação confortável na tabela, o Fluminense não, luta pra não cair e, mesmo ganhando, não sai da zona de rebaixamento. É duro ver o time assim e pensar que, há 1 mês, estávamos disputando a final da Libertadores.

O Fluminense tem mais um problema: Dodô pediu para não jogar. Contudo, tem a volta de Washington e Tartá e ambos serão titulares, Tartá na armação ao lado de Conca e Washington no ataque, ao lado de Somália. Confesso que era esse o ataque que eu queria, acredito que pode dar certo, já que Dodô parece estar de corpo mole. O Flu conta também com Carlinhos, que está recuperado de lesão (até que enfim um lateral-direito de origem e o melhor que sabe cruzar, fundamento que vamos precisar muito com esse ataque).

Já o São Paulo vem de uma goleada sobre o Vasco e poderá contar com André Lima. O Tricolor Paulista também tem importantes desfalques: o volante Hernanes e o zagueiro Alex Silva, ambos servindo à seleção.

Palpite: Fluminense 1 x 0 São Paulo

NOTA: O blogueiro Luiz Felippe pôde postar por problemas de última hora.

Saudações Tricolores

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

COLUNA DO SUPER NATURAL... "NADA DE CARNES, SÓ LEGUMES!"

Cheguei... Segura a tua onda que o mar não tá pra peixe!

Cheguei de fato para radicalizar! Não devo nada à diretoria ou a seu ninguém... Chega de papo, chega de falácias ou embromação! Tão pensando o quê? O Fluminense não é de vocês não! É NOSSO! O Fluzão hoje tá com o mar que não é pra peixe! Baleia Horca, Baleia Branca e Peixe Palhaço Gaúcho tudo junto... e se segura que o Flu não vai morrer na praia!

E o jogo? Que sono!

Num jogo fraco, sem muitos lances de perigo, com um Fluminense completamente perdido e desorganizado em campo, tal qual seu “entregador” de camisas, mais uma vez saímos derrotados dentro de nossa casa, o Maracanã. O Tricolor, que entrou em campo com algumas novidades, tais como os garotos João Paulo (7,5) e Felipe (6,5), foi logo surpreendido aos 5 min de jogo por Nilmar, que ganhou na corrida do veteraníssimo Roger e marcou um bonito gol. No desespero tricolor, o Inter ampliou aos 27 min e mais uma vez com Nilmar, em jogada pela esquerda de Marcão. Depois de algumas jogadas improdutivas e ataques desperdiçados, aos 25 min do 2º tempo, ele, o predestinado Somália, no susto descontou para o Flu.

CHUTANDO O BALDE... Agora falando do Flu...

Brincadeira tem hora!

Já chega! Basta! Somos um bando dentro de campo, brincadeira sem graça! Nas Laranjeiras, muito se fala, muito se sonda, muito se especula e nada! Brincadeira tem hora! Nada de contratações, nada de reação e o Flu afundando neste marzão onde tudo se tem... Vorazes tubarões, peixes grandes, peixes pequenos, bacalhaus, poluição rubro-negra e até peixes que não podem ser menores... Diretoria incompetente, apática, inexpressiva! Escutem nossa sábia torcida (Que vexame hein?! Somente 11.091!) que hoje e há muito tempo pede a cabeça-de-bagre do nosso vitorioso-herói-falastrão-profeta-sábio-poeta-churrasqueiro treinador Reinight Gaúcho Carioca Portaluppi! Parafraseando o Peixe Romário, “O Renato calado é um poeta!”.

Vai uma alcatra aí?

Valeu Renato, seu tempo acabou! C’est Fini! The game’s over! Sacou? Saia logo para seu bem e o do Fluminense, se você gosta tanto assim do Flu entregue o boné! Não que você não seja incompetente, mas não dá mais pra ver o Fluminense na situação que está e de praxe no futebol brasileiro para revigorar os ânimos se muda o treinador! Sabemos que faltam peças, mas também sabemos que há tempos falta esquema tático também, então... ELAS POR ELAS... Nada pessoal! Se o seu limite ainda não chegou, desculpa aí, mas o nosso já tá estourado!

Torcida...

Puxãozinho de orelha na nossa torcida... Tem uma letra que diz... Eu canto Nense quando o time vai bem... Eu canto Nense quando o time vai mal... E quer dizer que só cantam em Libertadores e quando chega à final é? Cadê vocês? Não me façam chamá-los de MODISTAS!

Contrata...ZzzZzZz...ções

Já foi a enterro de anão? Já viu a Loira do Banheiro? Já viu dente na boca de galinha? Já viu Senador ser preso? Saci? Mula-sem-cabeça? Pois é, acrescento mais um mito nas estórias contadas por este Brasil afora... Contratações do Fluminense! Falaram em um timaço de contratações já... Mineiro, Jadson, Daniel Carvalho, Fabrício, Jancarlos, Everton Santos, Palhaço, Pateta e Palerma e nada! Ah! Chegou um Eduardo ex-Ratinho pra lateral direita, pra substituir o ex-lateral direito, ex-ala e ex-craque Gabriel, que se aposentou em 2005! Quer motivação Diretoria? Anuncia terça-feira: DÁTOLO, URRUTIA, MINEIRO e JADSON E aí prepara o Maraca, pois o bicho vai pegar!

-------------------------------------------------------------------------------------------------

CARIOCAS NA RODADA…

Os três grandes vacilaram feio nesta rodada, somente o menor entre os times cariocas neste brasileiro ganhou. A Dupla Fla-Flu perdeu em casa. Os Mulambos foram derrotados de virada pelo Cruzeiro por 2x1, já o Vice da Gama foi massacrado por 4x0 pelo São Paulo, o tricolor paulista, mais conhecido como o time dos bambis, será o próximo rival do Fluzão na quarta 21h45. Já a Quinta força ganhou fora de casa do Patético do Paraná de 3x0, mostrando uma força de recuperação, mas, conhecendo o Bostinha, vulgo cavalo paraguaio, já já eles voltam ao normal, ou seja, às derrotas! Ah! Falando em eqüinos paraguaios... Eu vos apresento o The Frash, sim, o mais novo CAVALO PARAGUAIO do Brasileirão, o Cavalo Rubro Negro, descendo a ladeira, já se encontra em sexto!

-------------------------------------------------------------------------------------------------

E O “RESTO” NA RODADA DO BRASILEIRÃO...

Os outros participantes do Brasileirão tiveram os seguintes resultados, partindo dos que mais nos interesssam: Patético-PR 0 x 3 Bostafogo; Patético-MG 2x1 Sport; Santos 1x3 Coritiba; Ipatinga 1x2 Palmeiras. Goiás 4x0 Portuguesa e o Nautico 1x2 Figueirense. O líder Grêmio fez o dever de casa e ganhou de 2x0 do Vitória-BA.

RESUMO da RODADA: Os Rubro-Negros da Série A se deram mal... Os Alvinegros da Série A se deram bem... Apesar do nosso vexame em casa, os nossos teóricos rivais para fugir da zona também se deram mal e em casa! Felizmente! Cuidado Flu, a sorte tava a nosso favor nesta rodada... Os bons ventos sopram, falta só fazermos nossa parte!

------------------------------------------------------------------------------------------------

TOQUE DE BOLA...

Pelo que vi no sítio “Olé da Argentinha”, Dátolo tá com um pé no Flu. Este é o problema, com nossa inerte diretoria, ele deve ser contratado e vir a pé de Buenos Aires e chegar aqui lá pra Outubro! Dátolo vem do Boca e, se confirmada, será uma grande contratação (PRA CALAR A BOCA!) para o Flu que se juntará ao também “quase certo” Urrutia! É parceiro, vou afiar meu portunhol, pois esta dupla junto com o gringo Conca formaremos um meio campo de respeito e então "la conquista del brasileiron estai muy pertito!" Tremei adversários a MÁQUINA ESTÁ MAIS UMA VEZ A ENGRENAR!

Palpites...

Já que a rapaziada aqui do blog, peladeiros de PlayStation, dão palpites, eu, craque de bola, camisa 10 e craque de peladas do time do bairro vou mostrar como é: Fluminense 3 x 1 São Paulo, Grêmio 3 x 0 Ipatinga, Vasco 2 x 2 Coritiba, Atlético-PR 1 x 1 Náutico, Sport 3 x 1 Portuguesa, Goiás 2 x 1 Flamengo, Santos 2 x 1 Atlético-MG, Figueirense 3 x 1 Botafogo, Cruzeiro 2 x 1 Internacional, Palmeiras 2 x 0 Vitória.

“E PELO FLUMINENSE TUDO!”

Saudações Tricolores