sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tranquilo e seguro

Guerreiros, ontem o Fluminense bateu o Macaé por 3 a 1 e atingiu os 9 pontos na Taça Guanabara, disputando a liderança com o Botafogo, em primeiro devido ao saldo ligeiramente maior, e mantendo os 100% de aproveitamento. Por falar nisso, três dos quatro grandes do Rio venceram todos os seus jogos (Botafogo, Flamengo e Fluminense). A decepção do começo de ano é o Clube de Regatas Vasco da Gama, que, incrivelmente, perdeu os seus três primeiros jogos para times pequenos do Rio de Janeiro (Resende, Nova Iguaçu e Boavista) e tem 1% de chances de se classificar. Que situação deplorável!

O Fluminense fez sua melhor partida no Campeonato Carioca de 2011. Tranquilo e seguro, ao contrário dos dois primeiros jogos, o Tricolor não sofreu com os contra-ataques da equipe adversária e, paciente, chegou ao gol próximo ao fim do primeiro tempo, com Carlinhos, chutando de perna direita. Um belo gol que coroou uma boa exibição. Mais linda que o chute do lateral-esquerdo foi, sem dúvidas, a bicicleta de Fred, algum tempo antes, que parou no travessão. Lance genial do melhor atacante do País, que merecia o gol.

De Carlinhos também teve origem o segundo gol tricolor. Em um cruzamento rasteiro, a bola passou por toda a zaga do Macaé, e Souza só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. O meio-campo estava realmente disposto a apagar a má impressão deixada após a expulsão na partida de estréia. Além de ter marcado o segundo do Flu, Souza fez o terceiro em cobrança de falta. Aguerrido e excepcional nas bolas paradas, com a lesão de Deco (que para por tempo indeterminado, infelizmente), o ex-meia do Grêmio é titular absoluto no time do Flu. Falando em meio-campo, Edinho estreou hoje e fez uma exibição regular, bem melhor do que as duas últimas partidas de Valencia, bastante desengonçado. Diguinho foi muito bem. Agora esperamos ansiosamente a volta de Conca! O maestro faz falta! Com ele, o desempenho do time melhora em 1000%.

Além de Edinho, o goleiro Diego Cavalieri também estreou. Pouco exigido, não foi bem nos lances de que participou. Espalmou uma bola à Fernando Henrique e bateu roupa em dois chutes de fora da área. Em um deles, defendeu em dois tempos. No outro, a bola parou nos pés de Róbson, do Macaé, que diminui para os visitantes. A falha na partida de estréia, entretanto, não é motivo para crucificá-lo. Há dois anos na Europa, se não me engano, Cavalieri jogou cerca de 10 partidas somente. A falta de ritmo é notória. Mantendo-o de titular nos próximos 3 jogos antes da estréia da Libertadores, o nosso camisa 1, com certeza, ganhará ritmo e confiança e, tomara, poderá voltar a ser o excelente goleiro que impressionou o Brasil em 2007/2008.

Fred fez mais uma exibição segura. O trabalho de pivô tem sido muito bem feito. Em um lance do segundo tempo, fez uma excelente tabela com Rodriguinho, que acabou chutando fraco. Contudo, o lance mais bonito foi a bicicleta, a qual já citei acima, que parou na trave. A lamentar, só o pênalti perdido, que também parou na trave, mas que foi cobrado com bastante categoria. Pênalti esse que, na realidade, não foi absolutamente nada. Não houve falta em Willians, mas o juiz, erroneamente, assinalou penalidade máxima. Além desse lance, o juiz errou bisonhamente ao dar cartão amarelo para Carlinhos, em vez de simplesmente exigir a reversão na demora de cobrança de lateral. Fora esse, os outros amarelos do jogo foram muito bem aplicados.

Na zaga, Gum fez uma partida razoável. Não há nada para criticar, ao contrário de Leandro Euzébio, o qual, muito atrapalhado, quase entregou "a rapadura para o inimigo" em algumas jogadas (expressão de um narrador de vídeo-game cujo nome não recordo). Acorda, Euzébio! Não pode dar mole assim na Libertadores não!

Enfim, o Fluminense vem melhorando a cada jogo. Mantendo a base campeã brasileira de 2010, o Flu reforçou as suas posições mais carentes (pra mim, ainda falta um lateral-direito reserva e um zagueiro titular), está-se encaixando e se encontra quase pronto para a estréia na Libertadores. Só faltam Conca, o maestro, que volta em breve; Araújo, em forma, mas ainda não regularizado, que jogará no lugar de Emerson, lesionado; e Rafael Moura, que acertou a volta ao clube ontem e será o substituto de Fred na estréia, suspenso. Espero, sinceramente, que o He-man apague a péssima imagem que deixou na sua passagem em 2007, em que fez um mísero gol em 15 partidas. Mais experiente e em excelente fase, Rafael Moura foi, recentemente, o artilheiro da Copa Sul-Americana na campanha do vice-campeonato do Goiás. Que o antigo He-man tenha sido, definitivamente, deixado para trás e que contemos, no nosso Time de Guerreiros, com o Rafael Moura do Goiás!

Domingo, enfrentaremos a Cabofriense, no Moacyrzão, e teremos, provavelmente, a estréia de Araújo, que entrará no lugar de Rodriguinho. Diante dos times pequenos, como sabemos, vitória é obrigação. Reencontrar-nos-emos no dia 30 à noite, com um post, se tudo correr conforme o desejado, comentando a conquista de mais três pontos. Até breve, guerreiros!

Saudações Tricolores

domingo, 23 de janeiro de 2011

Expresso 222

Guerreiros, o Fluminense hoje se portou como o legítimo campeão brasileiro. Ao contrário da triste exibição de quinta-feira, contra o Bangu, neste domingo, apesar das falhas defensivas, o Flu se impôs e atropelou o Olaria, retornando ao bom futebol e confirmando o motivo da má atuação no primeiro jogo que foi dito por mim no post anterior. O placar de 6 a 2 não deixa dúvidas. O destaque da partida foi o artilheiro Fred, unânime. Os dois gols e a assistência de letra para o gol de Marquinho não deixa dúvidas disso. Mais do que uma bela exibição, Fred mostrou que, em forma, longe das lesões, é o melhor centroavante do País. Inquestionável.

Com um futebol bem mais vistoso nessa segunda partida do Carioca, o Fluminense chegou ao primeiro gol por meio do brilhantismo de Fred, o qual deixou Marquinho cara a cara com o goleiro para fazer 1 a 0. O Olaria, apesar de ter sido goleado, mostrou que, dentre os pequenos, é um dos melhores. Os times menores do Rio aproveitaram bem o período de descanso até o início da competição e aprimoraram bastante a parte física. A velocidade nos contra-ataques surpreendeu o Flu, que, logo em seguida, enquanto ainda comemorava, em falha de seu sistema defensivo, permitiu o empate do Olaria. Cinco minutos depois, o árbitrou marcou pênalti em falta cometida por Valencia (confesso que não achei pênalti nem na hora nem agora). Virada do Olaria no Engenhão, mas realmente não parecia que o Fluminense perderia esse jogo. Tanto é verdade que empatou com Fred, com bela assistência de Deco, o qual, por sinal, lesionou-se novamente. De Fred veio o gol da virada, próximo do fim do primeiro tempo, dessa vez cabeceando com estilo.

No começo do segundo tempo, Rodriguinho, que entrara na vaga de Deco, marcou um gol de "cabeça" (na verdade, a bola bateu nas costas). Com dois gols de vantagem, o jogo caiu de ritmo. O placar dava tranquilidade ao Flu. O Olaria, como todo time pequeno, tem como estratégia de jogo o contra-ataque para surpreender o adversário superior tecnicamente. Perdendo por dois gols, com o Fluminense sem deixar tantas brechas como no primeiro tempo, quando estava perdendo e saía para o jogo a todo custo, era realmente difícil que conseguisse alterar o panorama do jogo. O Olaria ainda assustou em contra-ataques após algumas das várias oportunidades de gol criadas pelo Fluminense, mas não conseguiu marcar. Rodriguinho, com mais um, agora com o pé, e Marquinho, de falta, deram número à goleada. Por falar nisso, o Fluminense voltou a fazer um belo gol de falta em cobrança direta. Mandou bem, Marquinho!

Assim, de 2 em 2, foi construída a segunda vitória no Campeonato Carioca. 2 de Marquinho, 2 de Fred e 2 de Rodriguinho, atropelando o Olaria e lembrando o tíulo da música de Gilberto Gil, Expresso 2222, aqui adaptado para 222. Além de Fred, outro jogador merece destaque: Tartá. Incansável em campo, o meia-atacante está realmente a fim de brigar por uma vaga de titular no time do Fluminense. Com certeza, Tartá deve iniciar o jogo na próxima rodada, contra o Macaé. Contudo, se Muricy repetir o início da partida de hoje, Tartá jogará ao lado de Fred no ataque. Particularmente, prefiro que ele jogue de meio-campo, com Rodriguinho no ataque. A velocidade dos dois, quando jogam juntos, pode ser muito bem aproveitada. Para quinta-feira, temos a volta de Souza, além de Marquinho, também disponível para o meio. Portanto, arrisco que iremos com Tartá no ataque e Souza e Marquinho no meio. No ataque ou no meio, correndo o que anda correndo e brigando por cada jogada, Tartá e Fluminense só têm a ganhar. Até quinta!

Saudações Tricolores

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O adeus de Coração Iluminado

Guerreiros, foi sofrido, angustiante, mas o Fluminense venceu na sua estréia no Campeonato Carioca de 2011. Os holofotes da partida não focaram no autor do solitário gol da vitória, Fred. O grande astro do jogo esteve em campo no intervalo. Washington Stecanela Cerqueira, de 35 anos, o maior artilheiro em uma só edição do Campeonato Brasileiro, encerrou hoje a sua vitoriosa carreira. Apelidado carinhosamente de "Coração Valente" devido a sua persistência em continuar a jogar futebol, mesmo com problema cardíaco, Washington anotou 45 gols em 83 jogos pelo Flu. Unamidade? Não, longe disso. Todavia, não se pode negar o seu carisma, que conquistou a simpatia de grande parte da torcida, e tudo o que ele fez pelo clube. Foram muitos gols perdidos e muitas caneladas. Houve até o episódio da ida para o São Paulo, que revoltou a muitos tricolores, inclusive eu. Contudo, a empatia de Washington com o Fluminense Football Club e os gols marcados em momentos decisivos tornaram o Coração Valente inesquecível para a grande maioria da torcida. As frases ditas por ele na volta ao Flu não me saem da memória. "Voltei para ser campeão brasileiro. Vou me doar 100% para isso."E realmente se doou. Reclamemos do longo período de jejum de Washington no Campeonato Brasileiro de 2010, mas ninguém pode questionar que ele realmente se esforçou. Vontade não faltou. Realizou seu desejo. Foi campeão brasileiro pelo Flu, marcando 8 gols fundamentais nessa trajetória vitoriosa e participando da jogada do gol do título. O que dizer então do gol mais emocionante que já vi na minha vida? Não tem gol perdido que apague aquela cabeçada que garantiu a classificação tricolor em cima do São Paulo aos 47 do segundo tempo. Também não me esqueço de Eric Faria falando na reportagem do Globo Esporte sobre a partida épica. Disse que o Coração Valente se tornara Coração Iluminado. Pura verdade. Tão iluminado que foi dele a cabeçada que gerou o gol de Emerson, o gol do tricampeonato brasileiro do Flu. O choro ao anunciar a sua aposentadoria e ao se despedir da torcida hoje no Engenhão não deixam dúvidas de que todo o sentimento e o respeito demonstrados por ele em relação ao Fluminense são verdadeiros. Por tudo o que fez pelo meu time, eu e milhões de tricolores dizemos: Obrigado, Washington!

Voltando à partida de hoje, o Fluminense campeão brasileiro pecou na saída de bola. Fazia tempo que não via o Flu jogar tão mal. Passes simples acabando nos pés dos adversários, inversões de jogadas erradas, contra-ataques desperdiçados, excesso de cartões amarelos (Souza foi expulso, inclusive)... Hoje, os erros foram bem maiores que os acertos. Contudo, apesar da péssima partida jogada pelo Fluminense, o jogo, em si, foi bom, da forma como todo apreciador de futebol gosta, lá e cá. Pode ser paradoxal, mas, com a expulsão de um jogador do Bangu, surgiu mais espaço, e ambas as equipes passaram a criar mais oportunidades de gol. Felizmente, foi o Fluminense quem conseguiu concretizar uma dessas, após linda jogada de Tartá, passando na velocidade em meio a dois jogadores adversários e cruzando para Fred cabecear com estilo e selar a vitória. Uma partida pífia do Flu, mas o que vale no futebol, como todos sabemos, são os 3 pontos. A primeira partida das temporadas geralmente não costuma ser marcada pelo bom futebol. Nos próximos jogos, o time se deve soltar. Aguardemos! Domingo, tem confronto com o Olaria. Que venha a segunda vitória rumo ao título estadual! Após o jogo, tem novo post. Até logo!

Saudações Tricolores

domingo, 16 de janeiro de 2011

A magia de volta

Guerreiros, o post de hoje contém o vídeo produzido recentemente pelo tricolor Sandro Carvalho a respeito da nossa volta à Libertadores, intitulado de A magia de volta - Libertadores 2011, A luta por um sonho. Com um fundo musical excelente, imagens de arrepiar e lances inesquecíveis, vale a pena vê-lo. Emocione-se! No dia 9 de fevereiro, a árdua luta pela conquista da maior competição do continente recomeça. Clique aqui para acessá-lo no youtube.

video

Saudações Tricolores