domingo, 2 de maio de 2010

Estreando com o pé esquerdo

Amigos, o primeiro jogo da era Muricy não foi dos melhores. Sem contar com seus dois melhores jogadores, o matador Fred e o habilidoso Conca, além de Alan, atual companheiro de Fred no ataque, o novo técnico tricolor optou por escalar André Lima e Marquinhos em busca da vitória sobre o Grêmio, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. Infelizmente, é nítida a "Fred dependência" e a "Conca dependência" do Fluminense, além da fragilidade do setor defensivo da equipe, e o time que foi a campo não conseguiu um bom resultado no Maracanã. Longe disso, viu a classificação ficar muito distante, visto que o Tricolor precisa vencer o time gaúcho no Olímpico por dois ou mais gols de diferença ou ganhar por um gol de diferença, mas por placares acima de 3 a 2 (esse resultado leva a decisão para os pênaltis).

Confesso que me animei no início do jogo. Logo o Flu fez 1 a 0 com gol de cabeça de André Lima, após cruzamento de Mariano. Com André Lima fazendo gol logo de cara, pareceu que o time não iria sentir falta de Fred, e eu não via como o Fluminense ser derrotado em casa. Infelizmente, havia esquecido do quão incompetente é a zaga do Fluminense. Jonas deitou e rolou sobre Leandro Eusébio e Douglas empatou a partida. E pior: Digão falhou bisonhamente, e a bola sobrou limpa para Jonas virar para o Grêmio. O início empolgante deu lugar a um pesadelo. Para quem temia tomar gol em casa, já sabendo da dificuldade de enfrentar a equipe gaúcha no Olímpico, perder o jogo era simplesmente desesperador.

Rodrigo, zagueiro gremista, foi expulso no final do primeiro tempo, mas, como vem sendo de praxe ultimamente, o Fluminense não soube aproveitar a vantagem numérica, e a derrota se confirmou. Apesar da pressão tricolor, em um contra-ataque fulminante, Douglas ampliou. 3 a 1. No "tudo ou nada", Equi González, o qual me parecia ser a melhor opção para ter substituído Darío Conca e que entrara no segundo tempo, colocou no ângulo após confusão na zaga do Grêmio. Infelizmente, o jogo acabou 3 a 2 para os visitantes, e o Fluminense ficou em uma situação extremamente delicada na Copa do Brasil.

Dizem os idiotas da objetividade que é praticamente impossível o Fluminense derrotar o Grêmio por dois ou mais gols de diferença em pleno Olímpico. Segundo as estatísticas, o time gaúcho só perdeu em sua casa por dois ou mais gols de diferença duas vezes em todo a história de sua participação na Copa do Brasil, tendo sido a última em 2000, para a Portuguesa. Entretanto, provavelmente foram esses mesmos idiotas da objetividade que preveram o rebaixamento tricolor no ano passado. Foram esses mesmos idiotas que duvidaram que o Fluminense eliminaria o Boca Juniors em 2008, afinal, o último time brasileiro que os desclassificara fora o Santos de Pelé. Então, idiotas, vale lembrar que, para o Fluminense Football Club, nada é impossível. Que venha a Batalha do Olímpico!

Saudações Tricolores

4 comentários:

Anônimo disse...

impossible is nothing .

Luizinri disse...

Porra. Você antigamente era mais realista, hein.

Chamar a galera pé no chão de idiota é sacanagem. Idiota é quem acredita nesse time de mongolóide, que não vai arrumar nada.

Anônimo disse...

muito bom o artigo, parabéns cara, sou teu fã!!!

[FFC] Eduardo disse...

Obrigado, anônimo.
Volte sempre, amigo.

____________________________

Luiz, cara, o otimismo tomou conta de mim e não me deixa crer nessa "realidade". Vamos ver como será amanhã.

ST