sexta-feira, 14 de maio de 2010

Vergonha!


Amigos, no último domingo, eu fui ao Castelão presenciar uma bizarra exibição do Fluminense Football Club. Na única oportunidade em 2010 de ver o meu amado clube do coração jogar na cidade onde moro, fui testemunha de uma derrota por 1 a 0 para o Ceará Sporting Club. Fui tomado por um sentimento de frustração e decepção. Recepcionei os jogadores no Aeroporto Internacional Pinto Martins cantando a plenos pulmões, apoiei o time durante o jogo inteiro, vibrei, pulei, xinguei e voltei para casa com uma amarga derrota. Contudo, nem tudo foi em vão. Estar junto à torcida mais bonita e apaixonada do Brasil fez tudo valer a pena. Além disso, conheci o grande tricolor e amigo Eric Costa, autor de excelentes textos a respeito do Flu e moderador da maior comunidade tricolor no orkut. Um grande abraço, Eric!

Sinceramente, só vi duas oportunidades concretas de gol criadas pelo Fluminense, ambas desperdiçadas por André Lima, que fez a sua pior partida com a camisa tricolor. Não ganhou uma disputa aérea, não saiu da marcação e errou tudo o que tentou. Conca também ficou preso na forte marcação cearense. Com Conca anulado, o cérebro do time tricolor parou de funcionar. Resultado: oportunidades escassas de gol, passes errados em demasia, pressão do Ceará. Em um contra-ataque, diga-se de passagem, resultante de um desarme faltoso do volante Michel em Diguinho, Cássio fez pênalti em Geraldo, camisa 10 alvinegro. Pior ainda: foi expulso. Confesso que, no calor do jogo, não vi falta do zagueiro, mas, chegando em casa, notei o empurrão nas costas do meio-campo do Ceará. Geraldo cobrou, com paradinha, e Rafael defendeu. Contudo, o bandeirinha mandou voltar, alegando que o goleiro tricolor se adiantou durante a cobrança. Geraldo bateu novamente e fez o gol da vitória alvinegra no Castelão.

Apesar de ter melhorado no segundo tempo mesmo com um homem a menos, o Fluminense continuou incapaz de ameaçar o gol defendido por Diego. Derrota na estréia do Campeonato Brasileiro para um time recém-promovido da Série B, o qual é cotado como um dos clubes que irão lutar para fugir do rebaixamento. Não, esse não era o Fluminense Football Club que nós merecíamos ver no Castelão.

Alerto, mais uma vez, para a fragilidade do nosso elenco. Apesar da chegada de Rodriguinho, atacante velocista, e Carlinhos, lateral esquerdo, que jogavam no Santo André, o plantel tricolor ainda carece de quantidade e qualidade. Noticia-se que Muricy exigiu reforços e que o Fluminense se apressa para trazê-los. Contudo, devemos lembrar que cada ponto perdido agora pode fazer a diferença no objetivo final da equipe, seja fugir do rebaixamento (Mais uma vez não dá!), brigar por uma vaga na Libertadores ou, dependendo do time que irá ser formado, até mesmo, lutar pelo título da competição. Agiliza, diretoria!

P.S.: Vale lembrar também que a arbitragem nos prejudicou novamente. Uma falta não marcada em Diguinho originou o gol da vitória alvinegra. Até quando erros como esse persistirão no futebol e mudarão o rumo de uma partida? (Em momento algum estou dizendo que o Fluminense mereceu a vitória. Acho, inclusive, que o Ceará jogou melhor, mas é fato que perdemos com um gol originado de uma jogada irregular.)

Saudações Tricolores

2 comentários:

PCFilho disse...

Estou até agora procurando a suposta falta que o Cássio fez. Não vi absolutamente nada.

Reconheço a fragilidade do elenco do Fluminense, mas credito esse resultado 100% à péssima e infeliz arbitragem do senhor Paulo César de Oliveira.

[FFC] Eduardo disse...

Realmente, o gol da vitória alvinegra foi originado de uma falha...
Lamentável que lances como esse ainda decidam uma partida.