terça-feira, 2 de setembro de 2008

Flamengo 2-2 Fluminense


NO MAIOR CLÁSSICO DO BRASIL, FLU VACILA NO FIM E CEDE EMPATE AO FLAMENGO

FLAMENGO 2 x 2 FLUMINENSE
Bruno; Leo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Jaílton, Toró (Erick Flores), Kleberson e Everton (Sambueza); Marcelinho Paraíba e Obina(Maxi). Fernando Henrique, Thiago Silva, Luiz Alberto e Roger; Eduardo Ratinho (Tartá), Maurício, Arouca, Conca (Fernando)e Junior Cesar; Éverton Santos e Washington
Técnico: Caio Júnior. Técnico: Cuca.
Gols: Conca, aos 11 minutos, Marcelinho Paraíba, aos 25 do primeiro tempo; Maurício, aos 21 minutos, Kleberson, aos 43 minutos do segundo tempo.
Cartão amarelo: Arouca (Fluminense).

Estádio: Maracanã. Data: 31/08/2008. Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS) Auxiliares:Ednilson Corona (Fifa-SP) e Alessandro de Matos (Fifa-BA)

Público: 56.074 pagantes (60.145 presentes). Renda: R$ 1.011.637,00


Caros tricolores, como era esperado de um Fla-Flu, o maior clássico do Brasil, foi um jogo emocionante até os últimos segundos. Depois de estar na frente por duas vezes, nosso Fluminense deixou o maior rival empatar, a última vez aos 43 min do segundo tempo. Um autêntico Fla-Flu, como os dos velhos tempos. Um jogo bonito, que deveria ser mostrado a todos para mostrar a beleza fascinante do futebol.

Precisávamos muito ganhar esse jogo, pois, além de ser um clássico contra o maior rival (Não pode perder nunca para eles!), a vitória nos deixaria a 3 pts da maldita Zona do Rebaixamento. Contudo, vacilamos no final e pagamos por isso, e a vitória, tão próxima, escapou das nossas mãos. Com o empate, o Fluminense perdeu a chance de embalar e está somente a um ponto da Zona de Risco.

Depois de ver a vitória do Grêmio sobre o Vasco, o Flamengo entrou em campo para vencer a qualquer custo, pra não perder o líder de vista. Por isso, começou atacando e deixou espaço para o Flu nos contra-ataques. Num deles, quase chegamos ao primeiro gol, mas Arouca demorou demais, após receber passe de Éverton Santos, e foi desarmado na hora H por Léo Moura. Contudo, logo depois, o bendito gol chegou. Aos 11, Roger, numa subida ao ataque, cruzou para a área. Jaílton, de cabeça, afastou, e, para a nossa felicidade, Conca chutou de primeira de fora da área, de canhota, e fez um dos gols mais bonitos que já presenciei. 1 a 0 Fluminense, e a torcida flamenguista, esmagadora maioria no jogo, ficou calada agüentando o coro de gozações da torcida tricolor. A partir daí, o Flamengo veio com tudo. Aos 13, Marcelinho Paraíba desperdiçou uma bela oportunidade após passe de Juan. Logo depois, Everton chutou cruzado e a bola passou perigosamente a frente do gol de Fernando Henrique. E o Flu continuava se aproveitando das saídas do Flamengo. Washington teve grande oportunidade, após receber passe de Conca, mas chutou por cima do gol. Quem não faz, leva. Na seqüência, aos 25 min, Toró chutou de fora da área e FH espalmou uma bola perfeitamente "encaixável". Outro chute de Toró, dessa vez mais difícil, e mais uma vez o goleiro espalma. A bola continuou na área tricolor e, num bate-cabeça da zaga, Marcelinho Paraíba, de cabelo rubro-negro, empurrou para o gol. FH ainda tirou, mas o gol foi devidamente anotado. Empate justo. A massa rubro-negra, depois do gol, animou-se e empurrou o time. Obina, muito mal na partida, aproveitou-se de falha de posicionamento da defesa, mas perdeu uma boa chance. Pelo lado tricolor, Luiz Alberto cabeceou por cima do gol de Bruno. Fim de primeiro tempo e o jogão permanecia empatado.

Para o segundo tempo, os dois times não mudaram. E o Flamengo voltou na pressão. O estreante Everton, do Flamengo, apresentou-se bem no ataque e mostrou sua qualidade. Nome do jogo. O Fluminense, pressionado, insistia nas bolas aéreas. Fernando Henrique salvava o Fluminense. Como já falei anteriormente, quem não faz, leva. E o Flamengo provou do ditado. Aos 21 min, depois de levar um puxão de orelha do técnico Cuca, Maurício arriscou de longe e fez um belo gol. Depois do segundo gol, o Fluminense passou a administrar o jogo. O Flamengo, que não desistiu em momento algum, chegou ao gol de empate (diga-se de passagem, merecido) aos 43 min, quando a torcida tricolor já comemorava feliz a vitória. Sambueza recebeu pela direita e cruzou para Kleberson, que só teve o trabalho de cabecear para o fundo das redes.

Fim de jogo. Fim de mais um Fla-Flu. Mais um jogaço. Dessa vez, diferente do que estamos acostumados a ver ultimamente, um empate. Agora, o Fluminense, com 24 pts, encara o líder Grêmio no Maraca, buscando se afastar da Zona. Já o Flamengo, com 37, tentando se reaproximar da ponta, enfrenta o Figueirense, no Orlando Scarpelli.

ANÁLISE POR EDUARDO: Um dos melhores jogos que já vi do Campeonato Brasileiro deste ano. Um legítimo Fla-Flu, com emoção a cada minuto. Jogaço. Isso sim é futebol. Precisávamos bastante da vitória, que nos daria moral e nos afastaria da Zona. Mas não foi dessa vez. Eu já comemorava a importante vitória quando Kleberson empatou o jogo. Bom, pelo menos mostramos ao "Império do Mal" que não o tememos.

Achei o resultado injusto. O Flu jogou nos contra-ataques o tempo todo e se defendeu mais do que criou oportunidades de gol. Felizmente, Conca e Maurício estavam com o pé calibrado e fizeram dois belos gols de longa distância. Já o Flamengo veio mais ofensivo e, por isso, deixava mais espaço para os contra-ataques. Pressionou bastante, mas esbarrou na falta de poder de fogo. Se futebol fosse justo, ganharia. Contudo, felizmente, desculpem-me a metáfora desgastada, "futebol é uma caixinha de surpresas". É isso que torna o futebol o esporte mais emocionante de todos. Essa capacidade de surpreender aqueles que lhe assistem.

Enquanto o Flamengo, apesar de melhor, perdia oportunidades, o Fluminense foi preciso e mostrou sua competência, marcando gols que o deixaram, momentaneamente, à frente do placar. Por duas vezes, o Flamengo teve que correr atrás do prejuízo e conseguir o empate. Ao término da partida, o empate prevaleceu e os dois times ficaram no prejuízo. O Flu, acabou muito próximo da Zona; o Flamengo, distanciou-se do líder Grêmio.

Ah, fiquem atentos ao Everton, do Flamengo. Mostrou muita personalidade na sua estréia, logo num clássico dessa proporção. Jogou muito bem e, por pouco, não saiu consagrado do Maracanã. Anotem aí, esse garoto ainda vai dar o que falar.

Próxima rodada, encararemos o Grêmio, no Maracanã. Jogo difícil. Encarar o líder do Campeonato é sempre difícil. Contudo, longe de ser uma "missão impossível", como muitos tricolores andam falando. O time gaúcho, apesar de ser líder, não é excepcional. Deve ser respeitado, é claro, mas o Fluminense precisa se impor diante da sua torcida. Mais uma batalha. Que, dessa vez, vençamos!

ANÁLISE POR LUIZ FELIPPE: Amigos tricolores, neste domingo, tivemos o clássico mais charmoso do mundo: Fla x Flu. Dois pra lá e dois pra cá, que, sem dúvida, acabou sendo ruim para ambas as equipes. Pro Flamengo, o empate o manteve fora do G-4. Já o Fluminense, com o empate, acabou não conseguindo se afastar da Zona de Rebaixamento, que continua muito próxima.

Bom, o jogo, nos primeiros minutos, começou sem grandes chances, mas com um ligeiro domínio do Fluminense, que mesmo com essa predominância, não conseguia ter uma boa chance de gol, assim como o Flamengo. Aos 11 minutos, depois da chegada de Roger pela esquerda e do corte de Jaílton, o argentino Dario Conca pegou um chute maravilhoso e fez um gol ÉPICO no Maracanã. Um gol que, com certeza, ficará marcado por alguns anos.

Depois do gol, percebi uma queda vertiginosa do time do Fluminense, que saiu de um jogo equilibrado e entrou, a partir dali, num jogo extremamente favorável ao time rubro-negro, que foi aos poucos ganhando terreno. Com esse momento favorável, o gol do Flamengo acabou saindo, aos 25 minutos do primeiro tempo, marcado por Marcelinho Paraíba. Num lance em que o Toró bateu duas vezes pro gol (O primeiro chute era completamente defensável), o promissor Everton bateu cruzado, no terceiro chute, e Marcelinho Paraíba, meio enrolado, completou pro gol, empatando, assim, a partida.

Depois disso, o Flamengo começou uma pressão incrível pra cima do Fluminense, que não conseguia armar nenhum contra-ataque. Contudo, depois de algumas chances perdidas por Obina e companhia, o Flu conseguiu segurar o 1x1 até o final da primeira etapa.

No segundo tempo, o domínio flamenguista continuava, mas sem toda aquela intensidade da reta final da primeira etapa. Mesmo assim, o time rubro-negro seguia tendo boas chances, principalmente, com as boas chegadas do jovem Everton, que, na minha opinião, foi o grande craque do jogo. Mas o Fluminense também quase marcou, aos 9 minutos, com uma cabeçada perigosa do zagueiro Luiz Alberto.

O Tricolor se mantinha até razoavelmente bem na partida, mas a defesa tricolor falhava demais, e Everton continuava a jogar muito bem, aí começaram as substituições. Enquanto Caio Júnior tirava o atrapalhado Obina e colocava Maxi, Cuca tirava Eduardo Ratinho, que, na minha concepção, fazia uma boa partida e colocou Tartá, que não entrou bem. Essa alteração foi ruim pro Fluminense, que perdeu a boa marcação pelo lado direito que tinha com Eduardo, e Arouca, que deveria cair pra ajudar por aquele lado, não jogou bem de novo e acabou deixando um buraco do lado direito da defesa tricolor.

Mas, de repente, o Flamengo, que era superior, sofreu um BAQUE. Aos 21 minutos, Maurício acertou um lindo chute de fora da área e com grande colaboração do goleiro Bruno desempatou o jogo pro Flu: 2x1. Depois do gol sofrido, o Urubu ficou atordoado, e, finalmente, os contra-ataques do Fluminense começaram a encaixar. Num desses, Tartá teve boa chance, mas desperdiçou.

Depois de uns 10 minutos, o Flamengo conseguiu reagir no jogo e, novamente, pressionava o time tricolor. Até que, aos 43 minutos, Sambueza recebeu lançamento, fez boa jogada pela direita e cruzou na medida para Kléberson, de cabeça, marcar, em nova falha do goleiro tricolor, que não saiu numa bola na pequena área.

Resumindo, achei que o empate ficou de ótimo tamanho pro Fluminense, pelo que foi o jogo.

ANÁLISE POR FELIPE: Tricolores, tivemos um típico Fla-Flu. Um jogão. O Tricolor contava com a volta de Thiago Silva, que estava servindo à seleção junto com Thiago Neves (este, infelizmente, não voltou, foi vendido para o Hamburgo). Já o Rubro-negro contava com a estréia de Everton, que teve personalidade e mostrou ser um excelente jogador, e o argentino Sambueza, que entrou no decorrer da partida.

O Fluminense começou nos contra-ataques sem levar muito perigo. Contudo, o argentino Dario Conca, aos 11 minutos, fez um lindo gol. A partir daí, o Flamengo dominou o jogo e criou sua primeira chance com Marcelinho Paraíba aos 13 minutos. Aos 25, com um gol muito chorado, o Flamengo empatou, com Marcelinho Paraíba. Na minha opinião, falha de Fernando Henrique. Depois disso, o Flamengo se empolgou e começou a atacar com perigo, mas o Tricolor também levava perigo nos contra-ataques.

O segundo tempo começou agitado para ambas as equipes, com muitas chances de gol, até que, aos 21 minutos, Mauricio chutou de fora da área e a bola foi no canto de Bruno, que ficou parado. O Flamengo sentiu o gol, e passou a atacar sem objetividade nenhuma. O Flu começou a dominar o jogo e teve a chance de matar com Tartá, que entrou na área e deu um toque por cima de bruno, só que Washington não acompanhou a jogada e a bola passou raspando a trave.

O castigo veio quando tudo parecia estar acabado. Kleberson, depois de um cruzamento de Sambueza, cabeceou para o fundo das redes empatando. Empate com sabor de derrota para o Tricolor, que continua a 1 ponto da Zona de Rebaixamento e perdeu a chance de se distanciar.

ANÁLISE POR JÚLIA: Mais um Fla-Flu cheio de lances bonitos e de apertar o coração. Sobre o time do Fluminense, achei que apresentou melhoras, mas a defesa estava meio vulnerável. Ratinho entrou bem, quase fez um golaço e mandou a torcida cantar, o cara tem personalidade. Washington passou despercebido, reclamando de passes e perdendo em todas as divididas com o Fábio Luciano. Tartá perdeu 2 gols cara-a-cara nos momentos em que mais precisávamos. Quando o menino era mais humilde, jogava melhor. Sobre o Fernando Henrique, defendeu bolas incríveis, mas, pra compensar, acabou não saindo ridiculamente em um dos últimos momentos do jogo. Falando do jogo no geral, o Flamengo atacou muito mais e o Fluminense teve mais sorte. Nas arquibancadas, a torcida tricolor fazia diferente: depois do 2° gol, deu um verdadeiro show de vozes. Tenho mais esperanças de que o Flu suba de posição neste campeonato graças à volta de nosso ídolo Thiago Silva. O melhor do mundo foi falar com os torcedores antes do Fla Flu, muito legal da parte dele.

Sobre o Edcarlos, nosso novo reforço pra zaga, talvez futuro substituto do Thiago Silva, pude observá-lo um pouco no treino de terça-feira. Tem um bom tempo de bola, vai bem nas cabeçadas e é seguro. Bem, isso foi no treino né, como dizem, ‘treino é treino e jogo é jogo’. Esperamos que o rendimento dele seja igual no jogo. Boa sorte, Flu!

NOTA: Pedimos desculpas aos leitores por não termos atualizado o blog ultimamente. Tivemos dias muito corridos e não pudemos nos reunir e postar sobre os jogos e as novidades do nosso Tricolor. Agora, voltaremos a atualizá-lo diariamente, e, amanhã, já teremos a Coluna do Super Natural.

Saudações Tricolores

3 comentários:

Sandro disse...

Esse campeonato tá um terror pra gente, nao vejo a hora de acabar logo e que a gente permaneça na 1ª divisão!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
[FFC] Eduardo disse...

Anônimo
Permito qualquer crítica, mas xingamento não é aceito.
ST